Paulo Whitaker/Reuters - 6/7/2016
Paulo Whitaker/Reuters - 6/7/2016

Análise: 'Se tiver confiança e continuidade, Borja vai triunfar'

Para jornalista colombiana, atacante do Palmeiras tem condições para dar a volta por cima e ter boas atuações

Juliana Sosa Góngora, Especial para o Estado*

12 Agosto 2017 | 17h00

Miguel Ángel Borja chegou ao Atlético Nacional depois de ser destaque com Cortuluá na ligal local e veio como reforço para a Copa Libertadores. Uma parte da torcida se mostrou cética com a confiança dada pelo técnico, Reinaldo Rueda, pois o considerava um atacante de times pequenos. O homem de Tierralta, no departamento de Córdoba, mostrou sua humildade desde o princípio e deixou que fossem suas atuações em campo falassem por ele.

Apenas um jogo bastou para o atacante silenciar seus críticos e ganhar seguidores: foi nada mais que no mítico estádio do Morumbi na semifinal da Copa Libertadores, contra o São Paulo. Borja anotou os dois gols da vitória por 2 a 0 do time colombiano. Na volta, Miguel Ángel fez mais dois gols e guiou o time Verdolaga à grande final do torneio continental. Nessa etapa, contra Independiente dell Valle, fez mais um gol, o do sonhado título.

Em quatro jogos, ele expôs todo o seu potencial e o entendimento do funcionamento coletivo. Demonstrou com feitos que Rueda não se equivocou ao contar com ele, que ganhou com todos os méritos o prêmio de Melhor Jogador da América, entregue pelo jornal El País. O segundo semestre de 2016 não foi tão positivo, mas os torcedores do Nacional lamentaram a sua partida para jogar pelo Palmeiras.

O que muitos consideravam como um passo precipitado, Borja viu como a sua grande oportunidade de brilhar em nível internacional e, até o momento, não conseguiu. Apesar de contar com companheiros como como Yerry Mina e Alejandro Guerra, sua adaptação não tem sido fácil e chovem sobre ele críticas no Brasil e na Colômbia. Talvez por sua tímida personalidade ou juventude, ainda não consegue se consolidar. O certo é que tem condições e talento para triunfar, se estiver cheio de confiança e tiver continuidade na formação titular.

* Juliana Sosa Góngora, jornalista em Medellín do site FutbolRed

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.