Lucas Merçon/Fluminense FC
Lucas Merçon/Fluminense FC

Antes de final, polícia prende membros de organizadas do Flamengo e do Fluminense

Integrantes das torcidas Jovem Fla e Young Flu foram detidos em suas casas e não resistiram à prisão

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

07 Maio 2017 | 14h02

Policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) prenderam na manhã deste domingo dois integrantes de quadrilhas formadas por integrantes de duas das principais torcidas organizadas de times de futebol do Rio, a Jovem Fla, do Flamengo, e a Young Flu, do Fluminense.

Thiago Ramos, de 33 anos, da Jovem Fla, e Thiago Aprigio, de 21, da Young Fla, foram capturados em casa. Eles não resistiram à prisão.

Foram cumpridos mandados de prisão preventiva por homicídio de torcedores expedidos pelo Juizado do Torcedor e apreendidos um porrete, maconha, computadores e documentos. Três homens estão foragidos.

A delegada Daniela Terra informou que eles estavam sendo monitorados por dois meses nas redes sociais, meio pelo qual marcam de se reunir para praticar violência em dias de jogos, dentro e fora dos estádios.

Outra prática destes criminosos é se infiltrar em torcidas de outros times para incitar violência e agredir adversários. Isso aconteceria inclusive neste domingo, quando Fluminense e Flamengo decidem a final do Campeonato Carioca, no Maracanã, a partir das 16 horas.

Os policiais também estiveram nas sedes do Vasco, em São Januário, e na da torcida Young Flu, no Méier, ambas na zona norte do Rio, entre outros endereços. "São como 'torcedores do mal'. Temos que garantir o direito de ir e vir dos torcedores do bem", disse a delegada Daniela Terra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.