Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Após 6 jogos em 19 dias, Santos quer aproveitar semana para resolver problemas

Zeca e Lucas Lima têm problemas físicos

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

30 Maio 2017 | 10h30

Envolvido na disputa de três competições - Copa do Brasil, Libertadores e Campeonato Brasileiro -, o Santos terá uma rara semana livre para treinamentos. Esse período extra de preparação vem em momento importante, quando o time tem problemas envolvendo dois titulares, o lateral-esquerdo Zeca e o meia Lucas Lima, e sofre com a instabilidade em campo.

Após perder para o Cruzeiro por 1 a 0 no último domingo, na Vila Belmiro, o elenco do Santos folgou na segunda-feira e se reapresenta na tarde desta terça no CT Rei Pelé, já pensando no clássico com o Corinthians, sábado, no Itaquerão, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

"O jogador quer jogar na quarta-feira (para afastar a dor da derrota), a comissão técnica, não. Nós queremos a semana para conseguir trabalhar a nossa equipe", afirmou Lucas Silvestre, auxiliar e filho do técnico Dorival Júnior.

O período extra para treinos vem após o Santos enfrentar maratona de seis jogos em 19 dias. Nesse período, a equipe avançou às quartas de final da Copa do Brasil e também se classificou às oitavas de final da Libertadores com a melhor campanha do seu grupo. Porém, vem decepcionando no início do Brasileirão, repetindo a oscilação que provocou a decepcionante no Campeonato Paulista.

"Será uma semana boa para continuar trabalhando bem a equipe. O jogo de terça (goleada por 4 a 0 sobre o Sporting Cristal) comprometeu, alguns treinaram só na sexta, sendo que foi a partida de maior intensidade do ano. O descanso será importante", acrescentou o auxiliar técnico.

O Santos tentará superar o início ruim no torneio nacional, com apenas três pontos somados e duas derrotas, o que o deixa em uma modesta 15.ª posição. Para isso, precisará melhorar o seu desempenho nos clássicos, pois perdeu os três que disputou no Campeonato Paulista - para o Corinthians, também na sua arena, caiu por 1 a 0.

Mas essas não são as únicas preocupações do técnico Dorival nesse momento. A principal delas envolve Lucas Lima. O meia sofreu lesão na coxa direita em partida contra o Coritiba e não deve voltar ao time antes do clássico com o Palmeiras, agendado para 14 de junho. Sua lesão o levou a ser cortado pelo técnico Tite dos próximos amistosos da seleção brasileira.

LUCAS LIMA

A derrota para o Cruzeiro expôs a dependência do Santos de Lucas Lima, pois, diante de um adversário fechado e bem armado, o elenco exibiu pouca criatividade e mal ameaçou a meta adversária. Assim, a escalação do colombiano Vladimir Hernández como substituto do titular, que foi a opção inicial de Dorival, está em dúvida. As outras opções do treinador são Rafael Longuine e Jean Mota.

"Ele faz muita falta para qualquer time do Brasil, mas nós temos um grupo muito forte. Temos Rafael (Longuine), Jean (Mota), Hernández. Vários jogadores no banco podem suprir essa ausência", disse Lucas Silvestre.

Além disso, o Santos ainda não sabe se poderá contar com Zeca no clássico com o Corinthians. O lateral precisou ser substituído durante o duelo com o Cruzeiro por causa de dores na panturrilha esquerda. Na última segunda-feira, de acordo com informações divulgadas pelo clube, o jogador evoluiu bem ao tratamento inicial.

Isso trouxe mais otimismo ao Santos para contar com Zeca no fim de semana. Uma avaliação nesta terça-feira será importante para determinar a real condição do lateral-esquerdo. Caso não tenha condições de encarar o Corinthians, a sua vaga será disputada por Copete, Jean Mota e Matheus Ribeiro. Assim, o certo é que Dorival precisaria recorrer a uma improvisação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.