Após abandonar banco da Inter, Gabriel se desculpa: 'Atitude impensada'

Brasileiro admite que agiu de maneira equivocada durante vitória por 3 a 1 contra a Lazio

O Estado de S.Paulo

22 Maio 2017 | 15h10

Um dia depois de protagonizar uma cena de indisciplina, ao abandonar o banco de reservas da Inter de Milão durante o confronto diante da Lazio, Gabriel Barbosa veio a público se desculpar. Através das redes sociais, o brasileiro admitiu o erro a afirmou que agiu de forma "impensada".

"Interistas e colegas de trabalho, ontem durante o jogo Lazio x Inter, repentinamente tive uma atitude impensada e inadequada ao sair do campo antes de terminar o jogo. Depois de passar o calor do jogo, com calma e com o apoio da minha família, vi que tal coisa contraria o espírito esportivo e os meus valores profissionais. Reconheço meu erro e gostaria de registrar as minhas sinceras desculpas a todos os torcedores que sempre me apoiaram e aos colegas de trabalho!", escreveu.

Já na etapa final da vitória por 3 a 1 sobre a Lazio, em Roma, Gabriel se irritou. Ao notar que o técnico-interino Stefano Vecchi havia realizado as três alterações e que ele não teria mais chances de entrar em campo, o brasileiro simplesmente abandonou o banco de reservas e foi para o vestiário.

A atitude, como era de se esperar, teve uma repercussão bastante negativa. Vecchi chegou a pedir que o jogador fosse punido pela diretoria e os rumores sobre uma possível saída de Gabriel da Inter na próxima temporada ganharam força. Até porque a passagem do atacante pelo time italiano foi bastante decepcionante neste primeiro ano.

Contratado por R$ 103,2 milhões junto ao Santos, Gabriel não conseguiu brilhar em sua primeira experiência no futebol europeu. Foram dez jogos disputados e apenas 184 minutos em campo. Também chama a atenção que o brasileiro não conseguiu se firmar com nenhum dos três treinadores que passaram pelo time de Milão durante a temporada. Frank de Boer, Stefano Pioli e agora Stefano Vecchi, auxiliar dos dois primeiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.