Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Após primeiro título como técnico, Zé Ricardo enaltece 'grupo talentoso' do Fla

Jovem treinador conquistou o Carioca sobre o Flu do experiente Abel Braga

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

07 Maio 2017 | 19h54

O técnico Zé Ricardo faturou neste domingo seu primeiro título profissional como técnico do Flamengo, mas na entrevista coletiva pós-jogo ele preferiu concentrar o discurso na divisão de méritos pela conquista do Campeonato Carioca. O treinador agradeceu aos ex-técnicos Muricy Ramalho e Zagallo, elogiou o elenco e disse que seu trabalho foi apenas "capitanear a parte técnica e comandar um grupo talentoso". De quebra, ainda parabenizou o adversário.

Zé Ricardo abriu a sua entrevista coletiva agradecendo os ex-técnicos. "Queria fazer duas menções. Primeiro ao Muricy Ramalho, que por um motivo de saúde deixou o projeto. Sempre me deu apoio. A outra é o Zagallo. Através de um amigo, o conheci pessoalmente. Também me deu palavras carinhosas. Guardei comigo. Isso nos dá força, porque passamos por momentos difíceis", comentou o treinador.

Para Zé Ricardo, a conquista do Carioca era praticamente uma obrigação. "Se fosse o Zé ou outro treinador, a cobrança pelo título seria grande. Não pode o Flamengo ficar dois, três anos sem ganhar taça. Somos alimentados por vitórias", disse. "Coube a mim capitanear a parte técnica e contar com um grupo talentoso, que sabe das suas limitações também, e que está aprendendo a sofrer quando precisa."

O treinador elogiou ainda o adversário, que marcou seu gol logo no início e dominou o jogo na primeira metade do segundo tempo. "O Fluminense é um grande adversário. Tenho certeza absoluta que vai fazer um grande ano. A gente teve dificuldade realmente, sentimos depois do gol. Percebi a equipe um pouco não sabendo o que fazer", analisou. "Mas o importante foi manter a calma."

No lado do Fluminense, o técnico Abel Braga lamentou a derrota "no detalhe". Para o treinador, o seu time foi superior na maior parte da partida. "Em 79 minutos fomos superiores. Flamengo mereceu, pelo contexto da obra, mas mostramos muita coisa aos outros", avaliou. "No segundo tempo, mais uma vez, o Flamengo não atinava com nossa movimentação. Tivemos sempre muito próximos do segundo gol. Na bola parada, aí sim, o detalhe foi pra eles."

Mais conteúdo sobre:
futebol Flamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.