Após tragédia familiar, Longuine se reapresenta ao Santos e treina na academia

Ainda não há uma definição de quando o atleta voltará a ser aproveitado

O Estado de S.Paulo

08 Maio 2017 | 18h54

Rafael Longuine está de volta ao Santos. Pouco menos de uma semana após ser liberado pelo clube das atividades por causa de uma tragédia familiar - seus pais morreram em um acidente de carro no interior do Paraná -, o meia se reapresentou nesta segunda-feira no CT Rei Pelé ao técnico Dorival Júnior, mas ainda não há uma definição sobre quando será aproveitado novamente.

Na última terça, Longuine deixou a rotina de atividades do Santos por causa do falecimento dos seus pais, em acidente ocorrido na rodovia BR-376, em Alto Paraná, no noroeste do Paraná. A batida fatal envolveu o carro onde estavam os pais do jogador e mais uma tia de Longuine com um caminhão e seu motorista. Todos os quatro envolvidos faleceram.

Longuine, assim, ficou de fora do duelo do Santos com o Independiente Santa Fe, na última quinta-feira, no Pacaembu, pela Copa Libertadores. Mas foi lembrado na comemoração dos gols pelos jogadores da equipe, que exibiram a letra L em uma referência ao companheiros, em entrevistas e também na realização de um minuto de silêncio. Ricardo Oliveira, inclusive, revelou que o elenco recebeu uma mensagem de Longuine antes do duelo que comoveu a todos.

De volta ao Santos, Longuine se reapresentou na tarde desta segunda-feira, na volta do elenco após a folga do fim de semana, e trabalhou em separado na academia do Centro de Excelência em Prevenção e Recuperação de Atletas do Futebol do CT Rei Pelé.

Dorival, porém, optou por não relacioná-lo para o duelo de quarta-feira contra o Paysandu, em Belém, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O Santos venceu o jogo de ida, na Vila Belmiro, por 2 a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.