1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Apresentado, Alexandre Pato exibe perfil 'trabalhador' no São Paulo

Fernando Faro - O Estado de S. Paulo

18 Fevereiro 2014 | 14h 40

Atacante mostra mais jogo de cintura e troca o discurso muitas vezes apontado como apático e acomodado

SÃO PAULO - Alexandre Pato recebeu a camisa 11 do São Paulo das mãos do vice de futebol João Paulo de Jesus Lopes e enfrentou uma concorrida sabatina na sala de imprensa do CT da Barra Funda. Bombardeado por perguntas dos jornalistas em sua apresentação oficial como reforço do São Paulo, no início da tarde desta terça-feira, o atacante mostrou mais jogo de cintura e trocou o discurso muitas vezes apontado como apático e acomodado por um mais determinado.

"A maioria pensa algumas coisas a meu respeito quando não me conhece, mas sou muito trabalhador. Sempre fui o primeiro a chegar e o último a sair no meu clube. Saí muito cedo de casa e aprendi muitas coisas, deixei minha mãe chorando na rodoviária perguntando mil vezes se eu queria mesmo ir embora. Na vitória me sinto o mais feliz do mundo, na derrota me sinto um nada. A maioria não viu o que fiz, mas trabalhei muito. Não vejo a hora de entrar em campo para mostrar meu valor para a torcida."

Mostrar que não é um jogador "tanto faz" foi a principal preocupação do atleta. A cada resposta, sempre insistiu no seu gosto pelo trabalho e como seu desempenho em campo afeta sua vida pessoal. Pato também precisou tocar em temas espinhosos durante a entrevista. Falou sobre a curta passagem no Corinthians e creditou o insucesso à falta de sequência, mas sempre com um discurso respeitoso ao ex-clube. A todo instante fez questão de demonstrar comprometimento com a nova casa e admitiu a ansiedade em jogar pelo São Paulo. "Se eu disser que não estou ansioso, vou estar mentindo".

Fustigado pelos corintianos, o jogador também enfrenta resistência de parte dos são-paulinos que não acreditam que ele possa voltar a dar a volta por cima. Logo em sua primeira resposta, exaltou o comportamento dos torcedores no Campeonato Brasileiro do ano passado. "Ainda não tive o primeiro contato com eles como jogador, no campo, mas vi os jogos, enfrentei o São Paulo e sei que eles foram fundamentais para o time dar a virada", elogiou.

No São Paulo, Pato também espera finalmente acertar sua posição em campo e poder formar dupla com Luis Fabiano. "Ele é um multicampeão e ganhou muitos títulos na Europa", elogiou. Ao menos no treino desta terça-feira, a dupla mostrou entrosamento e o novo reforço marcou dois gols com passes do companheiro. Pato, no entanto, promete uma conversa com Muricy para ver como o treinador pensa em aproveitá-lo.

COPA DO MUNDO

Apesar de ter chances remotas de estar no Mundial, o atacante não fechou as portas para a seleção e acredita que pode ocupar uma das vagas no setor, um dos maiores problemas de Luiz Felipe Scolari. "Tem tempo ainda, estou no São Paulo, que é um grande clube que abre as portas para o mundo inteiro."