Araçatuba: greve e salários atrasados

Os planos do técnico Carlos Rabello de salvar o Araçatuba do rebaixamento do Campeonato Paulista da Série A2 estão fracassando. Com salários atrasados, ameaça de greve de jogadores e na lanterna com apenas três pontos em dez jogos, o time não tem nenhuma perspectiva de melhora. "Infelizmente o momento é muito ruim. Deveríamos promover a união de todos e da cidade em torno do time, mas isso parece uma missão impossível", comentou Rabello, que dirigiu o time em apenas dois jogos. Os jogadores ameaçaram greve, quarta-feira, no Estádio Adhemar de Barros, na tentativa de conseguir o pagamento de salários. A diretoria prometeu quitar um mês na próxima terça-feira, apesar do presidente Nei Giron não aceitar nenhum tipo de imposição. "Eles não merecem nada pelo que vêm jogando", comentou, ironicamente. O próximo jogo será contra o Bragantino, domingo, às 16 horas, em Bragança Paulista.

Agencia Estado,

28 Março 2002 | 17h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.