1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Juan Antonio Pizzi substitui Jorge Sampaoli no Chile

- Atualizado: 29 Janeiro 2016 | 23h 56

Argentino assinará contrato até a Copa de 2018

A seleção do Chile, atual campeã da Copa América, tem um novo treinador. O argentino Juan Antonio Pizzi foi o escolhido nesta sexta-feira pela Associação Nacional de Futebol Profissional (ANFP) para substituir o compatriota Jorge Sampaoli, que há 10 dias selou a sua saída após um árduo litígio com a entidade pelo pagamento de sua cláusula de rescisão.

Pizzi atualmente comanda o León, do México, mas deixará o cargo. Na próxima semana, viajará até Santiago para assinar um contrato com duração até a Copa do Mundo de 2018, que será na Rússia. Assim, dirigirá a seleção chilena nas Eliminatórias, na Copa América Centenário, que será disputada este ano nos Estados Unidos, e a Copa das Confederações em 2017, também na Rússia.

Pizzi deixará o comando do León, do México, para assumir o Chile
Pizzi deixará o comando do León, do México, para assumir o Chile

"Estamos muito satisfeitos com a chegada de Juan Antonio Pizzi. É um profissional que nos dá plena confiança, tem uma carreira consolidada, foi campeão no Chile e na Argentina, além de ter boas campanhas na Europa e no México", afirmou o presidente da ANFP, Arturo Salah, em comunicado. "Pizzi é a pessoa indicada para resguardar e dar continuidade ao trabalho da seleção chilena, além de manter a competitividade demonstrada nos últimos anos", acrescentou o principal dirigente do futebol chileno.

O ex-jogador argentino conhece bem o futebol chileno, pois em 2009 treinou o Santiago Morning e um ano depois chegou à Universidad Católica, onde foi campeão do Campeonato Chileno. Depois, dirigiu Rosário Central e San Lorenzo, na Argentina, e em 2014 esteve no Valencia, na Espanha.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX