Ian Kington / AFP
Ian Kington / AFP

Arsenal confirma permanência de Wenger e renova contrato por dois anos

Francês está no comando do clube há 21 anos

Estadão Conteúdo

31 Maio 2017 | 10h26

O reinado de Arsène Wenger no Arsenal terá mais dois anos. Nesta quarta-feira, o clube anunciou que o treinador francês seguirá à frente do clube ao assinar a renovação do seu contrato até o término da temporada 2018/2019, o que fará completar 23 anos como comandante da equipe se o novo vínculo for cumprido até o fim.

Haviam muitas dúvidas sobre a permanência de Wenger, de 67 anos, no Arsenal, especialmente porque o seu contrato se encerrava ao término da temporada e o time não conseguiu se classificar para a próxima edição da Liga dos Campeões da Europa, o que provocou críticas intensas ao seu trabalho por parte dos torcedores.

Wenger assumiu o comando do Arsenal em 1996 e é, de longe, o técnico há mais tempo à frente de um clube da elite do futebol da Inglaterra. No comando do clube, ele faturou três títulos do Campeonato Inglês, além de ter vencido sete vezes a Copa da Inglaterra.

A último dessas conquistas do torneio mata-mata foi assegurada no último sábado, quando o Arsenal derrotou o Chelsea por 2 a 1 na decisão realizado em Wembley. A conquista ajudou a minimizar a campanha ruim do time no Campeonato Inglês - o time terminou o torneio na quinta colocação.

Com isso, a última temporada foi a primeira em que a equipe foi dirigida em toda ela por Wenger sem conseguir a classificação para a Liga dos Campeões. Ainda assim, o treinador parece não ter perdido o apoio e a confiança do comando do Arsenal, que oficializou a sua permanência nesta quarta-feira.

"Nossa ambição é conquistar o Campeonato Inglês e outros grandes troféus na Europa. É o que os torcedores, jogadores, a comissão técnica, a diretoria e o conselho esperam e não vamos descansar até que isso seja alcançado. Arsène é a melhor pessoa para nos ajudar a fazer isso acontecer. Ele tem um histórico fantástico e tem nosso apoio total", afirmou Stan Kroenke, o proprietário majoritário do Arsenal.

De acordo com o clube, a renovação foi definida após uma reunião de avaliação entre Wenger e o chefe-executivo Ivan Gazidis "para identificar áreas de melhoria para construir um desafio consistente ao título".

"Eu adoro este clube e espero ansiosamente o futuro com otimismo e empolgação", disse Wenger. "Estamos ansiosos para trabalhar bem e como podemos ser mais fortes em todos os lugares. Este é um grupo forte de jogadores e com alguns reforços, podemos ser ainda mais bem-sucedidos", acrescentou o treinador do Arsenal.

Mais conteúdo sobre:
futebol Arsenal Arsène Wenger

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.