Assine o Estadão
assine

Esportes

The Strongest

Atacante do The Strongest diz que vitória é histórica

Time boliviano não ganhava fora de casa no torneio desde 82

0

Ciro Campos,
O Estado de S. Paulo

17 Fevereiro 2016 | 23h00

Os jogadores do The Strongest pareciam não acreditar que ganharam do São Paulo no estádio Pacaembu pela Copa Libertadores. Ao fim do triunfo por 1 a 0 nesta quarta-feira, os jogadores do time boliviano se ajoelharam no gramado para uma oração e, na saída do vestiário, demonstravam felicidade e até um certo espanto por terem conseguido um feito incomum na trajetória do clube: ganhar fora de casa pelo torneio.

"O nosso nome fica na história. A gente sabia que era um jogo em que a história e a tradição pesavam contra nosso clube. Só o nosso elenco e o técnico acreditavam que a vitória era possível", afirmou o atacante Pablo Escobar. O jogador, que teve passagens por times brasileiros como Ipatinga, Ponte Preta e Santo André, destacou que estava orgulhoso da façanha por ser também torcedor do The Strongest.

A festa longe de La Paz é algo raro na história do clube. O The Strongest participa pela 22ª vez da competição e há 34 anos não ganhava como visitante. O feito em 1982 foi contra um time do próprio país, o Jorge Wilstermann, em Cochabamba. Apenas outras três vezes a equipe venceu fora de casa. Em 1981 ganhou do Técnico Universitário, no Equador, em 1971 bateu o Chaco Petrolero, da Bolívia, e em 1965, foi à capital equatoriana derrota o Deportivo Quito.

Os atletas da equipe boliviana demoraram para sair do estádio do Pacaembu. No vestiário o elenco comemorou bastante o feito. Na zona mista os jogadores passaram pelos repórteres bastante sorridentes pelo resultado positivo. "Vamos encontrar o São Paulo em La Paz na última rodada. Mas lá são 3,6 mil metros de altitude e vamos saber usar bastante isso", disse o veterano Escobar, de 36 anos.

Mais conteúdo sobre:

Comentários