Atlético-MG e Minas Arena se reúnem, mas não fecham acordo por Mineirão

Se Alexandre Kalil fazia questão que o Atlético-MG jogasse sempre que possível no Independência, o novo presidente do clube, Daniel Nepomuceno, não esconde a vontade de que a equipe atue cada vez mais no Mineirão, em uma forma de aumentar a receita. Nesta terça-feira, ele teve o primeiro encontro com a Minas Arena, administradora do maior estádio de Belo Horizonte, mas as duas partes não chegaram a um acordo.

Estadão Conteúdo

24 Março 2015 | 19h04

Pelo que divulgou o Atlético-MG, uma nova reunião foi marcada para os próximos dias porque o clube tem até a próxima segunda-feira, apenas, para informar à Conmebol quanto ao local da partida contra o Santa Fe, dia 9 de abril, pela Libertadores. Nepomuceno quer utilizar o Mineirão para aumentar a arrecadação na bilheteria.

Até agora, o Atlético só mandou cinco jogos no Mineirão. Fez lá, por força do regulamento, as finais da Libertadores e da Recopa Sul-Americana, ganhando dois títulos. Também as partidas contra Flamengo e Corinthians, pela Copa do Brasil do ano passado, foram no Mineirão, com duas vitórias épicas do Atlético, que viria a ser campeão no estádio, mas como visitante.

Como vem de derrota para o Atlas na Libertadores, a tese de que o Atlético joga melhor no Independência caiu por terra. Além disso, a equipe terá que jogar de qualquer forma no Mineirão no dia 22 de abril, contra o Colo Colo. Isso porque o Independência já está alugado para um show da banda de rock Kiss, no dia seguinte.

Mais conteúdo sobre:
futebol Atlético-MG Mineirão Libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.