Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Atlético-MG pega o San Lorenzo na estreia na Sul-Americana para esquecer decepção

Clube mineiro não disputa a competição desde 2011

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

11 Abril 2018 | 06h34

Ainda decepcionado pela chance perdida de ser bicampeão estadual no último final de semana, o Atlético Mineiro entra em campo nesta quarta-feira, às 19h15 (de Brasília), no estádio Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires, para enfrentar o San Lorenzo na sua estreia na Copa Sul-Americana com o objetivo de esquecer a decepção recente e também começando a lidar com uma nova rotina.

+ Bremer vai substituir Leonardo Silva na estreia do Atlético-MG na Sul-Americana

+ Treino do Atlético-MG tem discussão em campo e lesão de Leonardo Silva

A Sul-Americana não é disputada pelo Atlético Mineiro desde 2011. Depois disso, disputou cinco edições consecutivas da Copa Libertadores, entre 2013 e 2017, o que incluiu uma conquista, logo na primeira participação desta série.

No entanto, uma decepcionante participação no Campeonato Brasileiro do ano passado - foi apenas o nono colocado -, deixou o Atlético Mineiro fora da Libertadores. E isso acabou lhe rendendo a vaga na Sul-Americana, como melhor representante do País entre os seus seis clubes classificados.

Só que a definição dos confrontos não trouxe muita sorte ao Atlético Mineiro, que vai encarar um time que obteve a sua vaga como melhor argentino que disputará o torneio. E, a partir desta quarta-feira, farão um confronto entre dois recentes campeões da principal competição sul-americana - o San Lorenzo foi campeão em 2014, apenas um ano após a equipe mineira.

"É um novo objetivo que se inicia. A gente sabe a dificuldade que é disputar esse tipo de competição, no modelo que ela é disputada, com mata-mata em todas as fases. Então, todo jogo é decisivo. Mas é interessante, todo jogador gosta de disputar esse tipo de competição, com esse tipo de regulamento", comentou o goleiro Victor, um dos poucos remanescentes do elenco que faturou a Libertadores em 2013.

Porém, os clubes estreiam na Sul-Americana em momento desfavorável. O Atlético Mineiro desperdiçou a chance de ser campeão estadual no último domingo após perder para o Cruzeiro por 2 a 0, sendo que havia vencido o duelo de ida por 3 a 1. Já o San Lorenzo, também no final de semana, perdeu por 5 a 0 para o Godoy Cruz pelo Campeonato Argentino.

Assim, o tom do duelo será de recuperação. E, para isso, o Atlético Mineiro não contará com o zagueiro Leonardo Silva. Com uma lesão leve na coxa direita, o veterano, de 38 anos, nem foi relacionado pelo técnico interino Thiago Larghi. Bremer, formado nas divisões de base e 17 anos mais novo, é o favorito para formar a dupla de zaga titular com Gabriel, embora Felipe Santana também esteja à disposição.

O confronto também representará uma busca por recuperação pessoal para Otero. Após brilhar no primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro, com três passes para gols, o venezuelano acabou sendo visto como o vilão do duelo de volta por agressão a um adversário. Assim, vai atuar em busca da recuperação da moral com o torcedor.

O clima tenso encarado na final do Campeonato Mineiro e o descontrole exibido por Otero diante do Cruzeiro também servem como aprendizado para o Atlético Mineiro visando o confronto desta quarta-feira contra o San Lorenzo. E, para isso, o time também aposta na boa fase e experiência de Ricardo Oliveira, autor de três gols nos últimos três jogos.

"Será um jogo pegado, equilibrado e bem disputado, mas espero que a gente consiga fazer um grande jogo, dentro da proposta que o time vem tendo, e consiga jogar nosso melhor futebol", afirmou Victor.

Apesar do resultado negativo do último final de semana, o San Lorenzo faz boa campanha no Campeonato Argentino, ocupando a terceira posição. Isso, inclusive, fará o técnico Claudio Biaggio poupar alguns titulares como o veterano Romagnolli, de 37 anos, pensando nas rodadas finais do torneio nacional.

O comando do ataque do San Lorenzo está entregue ao perigoso Nicolás Blandi, um dos principais nomes do elenco. Além disso, o time terá novidades nas laterais, com as escalações Paulo Diaz e Gabriel Rojas, que não encararam o Godoy Cruz. Assim, espera começar a reverter o retrospecto negativo diante do Atlético Mineiro, de quem perdeu três vezes, sendo as duas últimas pela Copa Mercosul de 2000.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.