Bruno Cantini/ Atletico
Bruno Cantini/ Atletico

Atlético-MG recebe o Godoy Cruz e precisa da vitória para terminar em 1º do grupo

Equipe mineiro quer vantagem no mata-mata

Gabriel Melloni, Estadão Conteúdo

16 Maio 2017 | 07h50

O Atlético Mineiro encerra a participação na fase de grupos da Copa Libertadores nesta terça-feira, quando recebe o Godoy Cruz no estádio Independência, em Belo Horizonte, às 21 horas, na disputa pela primeira colocação da chave 6. Quem vencer, avança às oitavas de final com a liderança e o empate favorece o time argentino.

O confronto perdeu em peso porque o Grupo 6 é o único que já tem seus dois classificados definidos. Godoy Cruz, líder com 10 pontos, e Atlético-MG, segundo também com 10, não podem mais ser ultrapassados por Libertad (cinco) e Sport Boys (um), que cumprem tabela na outra partida da chave nesta terça-feira, no Paraguai.

O Atlético Mineiro chega para a partida em um bom momento. Depois de oscilar bastante no início da temporada, cresceu de produção, conquistou o título do Campeonato Mineiro e vem de uma boa estreia no Campeonato Brasileiro - empate diante do Flamengo, no estádio do Maracanã, no Rio, no último sábado.

Um dos motivos para esta fase é o técnico Roger Machado, que parece finalmente ter encontrado o esquema tático ideal para equipe. O Atlético MIneiro cresceu desde que passou a atuar com três volantes e viu Elias, com mais liberdade ao ser protegido por Adilson e Rafael Carioca, se transformar em um dos destaques do elenco.

Resta saber se Roger Machado manterá os três volantes mesmo com a ausência de Rafael Carioca, suspenso. Na última segunda-feira, ele treinou com Yago entre os titulares, mas não confirmou que colocará o garoto de 21 anos para fazer a trinca com Elias e Adilson.

Além de dar liberdade a Elias, este esquema tático deixa a criticada defesa atleticana mais protegida. Para esta terça-feira, o time alvinegro mais uma vez não poderá contar com Leonardo Silva, que está novamente contundido. Por isso, Felipe Santana, que ainda não convenceu a torcida, terá mais uma chance como titular ao lado de Gabriel.

Por outro lado, Roger Machado poderá contar com o retorno de Marcos Rocha. O lateral-direito foi poupado do duelo diante do Flamengo por causa de fadiga muscular, mas teve o retorno confirmado. Até porque o seu reserva direto, Carlos César, sofreu uma grave lesão no tornozelo esquerdo, precisará ser operado e ficará de três a quatro meses afastado do futebol.

Com isso, a principal dúvida do Atlético Mineiro para a partida é o goleiro Victor. Depois de perder o pai na madrugada de domingo para segunda-feira, ele foi liberado do último treino, mas acabou relacionado. Se ficar de fora, Giovanni entrará em seu lugar.

Se o Atlético Mineiro vai com força máxima, o Godoy Cruz optou por deixar vários titulares na Argentina. Depois de vencer o San Martín por 2 a 1 na última sexta-feira, pelo Campeonato Nacional, a equipe desembarcou domingo em Belo Horizonte bastante desfalcada.

O técnico Lucas Bernardi não trouxe para o Brasil jogadores como os zagueiros Leonel Galeano e Sebastián Olivares, os meio-campistas Ángel González, Fabián Henríquez e Gastón Giménez e o atacante Javier Correa. Autor dos dois gols contra o San Martín, Santiago Garcia, no entanto, está relacionado e deve atuar.

Mais conteúdo sobre:
Atlético-MG futebol Libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.