Renato Cobucci/ Divulgação
Renato Cobucci/ Divulgação

Atlético-MG revê veto e jornalista é liberado para entrar no CT

Leo Gomide, da Rádio Inconfidência, havia sido proibido de entrar na Cidade do Galo após discussão com o ex-técnico Oswaldo de Oliveira

O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2018 | 21h52

Seis dias depois de Oswaldo de Oliveira, ex-treinador do Atlético Mineiro, partir para cima do repórter Leo Gomide, da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, após o empate em 1 a 1 entre o clube e o Atlético Acreano pela Copa do Brasil, o diretor de comunicação do alvinegro anunciou em seu twitter que o jornalista poderá trabalhar normalmente na cobertura da equipe. Gomide foi proibido de entrar na Cidade do Galo poucas horas depois da confusão.

Domenico Bhering, diretor de comunicação do Atlético Mineiro, escreveu em sua rede social na noite desta terça-feira, 13 de fevereiro. "Conversei há pouco com o Presidente. A entrada do repórter Léo Gomide na Cidade do Galo está liberada", foi a mensagem postada no twitter de Domenico (@domenicobhering).

Pouco depois, foi a vez de Leo Gomide escrever, também no twitter. "Nada fiz de errado, não fui procurado, sempre confiei que a proibição seria revista porque amparada em fatos inverídicos e destoante da história democrática do Clube. É importante sentar e esclarecer tudo. Estou à disposição! Sigo com o trabalho sério e independente. Abs a todos!", foi a mensagem do jornalista da Rádio Inconfidência. 

O anúncio do veto de Gomide na Cidade do Galo havia sido comunicado pelo diretor de futebol Alexandre Gallo na manhã de quinta-feira. "Ele é o nosso representante e decidimos em reunião com o presidente Sergio Sette Câmara e com a diretoria que nesse momento fica vetada a entrada do Léo Gomide na Cidade do Galo, até para evitar qualquer problema futuro", afirmou Gallo, em entrevista à TV Galo, o canal de vídeos no YouTube do clube mineiro.

Confusão. O  Atlético Mineiro está classificado à segunda fase da Copa do Brasil, mas a atuação ruim no empate por 1 a 1 com o Atlético Acreano, na Arena da Floresta, em Rio Branco, no Acre, na semana passada, e o descontrole de Oswaldo de Oliveira após o duelo, na entrevista coletiva, expuseram o início ruim de temporada de um time que está sob pressão.

Questionado sobre qual seria a proposta de jogo do Atlético-MG para atacar o adversário na partida em Rio Branco, Oswaldo se irritou, interrompeu o questionamento e iniciou um bate-boca. "Você sempre faz essas perguntinhas mal-intencionadas. Não seja tendencioso", reclamou.

Depois, Oswaldo ainda tentou argumentar sobre a atuação da equipe, concluindo sua resposta com novo ataque ao repórter Léo Gomide, da rádio Inconfidência. "Nós atacamos de todas as formas que planejamos, com jogadas pelo lado do campo. Criamos várias oportunidades no primeiro tempo, várias no segundo. Mas quem não tem boa vontade, quem quer usar o lado pejorativo, faz o tipo de pergunta que você fez. Todas as vezes você repete a mesma coisa, mas eu calmamente tenho administrado", acrescentou.

A conclusão da resposta, porém, não encerrou a polêmica entre Oswaldo e o jornalista. Enquanto era questionado por outro repórter, o treinador partiu para cima de Gomide, alegando ter sido provocado, e tentou agredi-lo, além de ter disparado uma série de palavrões, precisando ser contido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.