Hedeson Alves/EFE
Hedeson Alves/EFE

Atlético-PR perde para o San Lorenzo por 3 a 0 e se complica na Libertadores

Rubro-Negro perde chance de encaminhar vaga nas oitavas de final

Estadão Conteúdo

03 Maio 2017 | 23h18

O Atlético Paranaense entrou na Arena da Baixada, em Curitiba, para tentar apagar a péssima atuação que teve contra o Coritiba no último fim de semana, quando perdeu por 3 a 0 do Coritiba na primeira final do Campeonato Paranaense. Mas não conseguiu. Novamente em uma atuação ruim dos jogadores comandados pelo técnico Paulo Autuori, o time rubro-negro perdeu para o San Lorenzo também por 3 a 0, pela quinta rodada do Grupo 4 da Copa Libertadores.

Díaz e Blandi, ambos de cabeça, e Botta marcaram os gols do jogo. Muito desorganizado, o Atlético Paranaense sofreu, principalmente, depois que sofreu os gols e não teve forças para reagir, deixando a vitória tranquila para os argentinos.

A derrota é péssima para os brasileiros, que ficam com sete pontos e perdem a chance de garantir a classificação de forma antecipada. O San Lorenzo, que perdeu os dois primeiros jogos, se recupera e chega à última rodada com chances de classificação. O time argentino também soma sete pontos.

Daqui a duas semanas, os dois times voltam a campo para decidirem as suas vidas. O brasileiro vai ao Chile para enfrentar a Universidad Católica, enquanto que o argentino recebe o Flamengo, em Buenos Aires. Os dois jogos serão no próximo dia 17, às 21h45 (de Brasília).

O JOGO

A Arena da Baixada é uma "arma" muito utilizada pelo Atlético Paranaense, já que o clube foi derrotado poucas vezes em casa - a última, antes da queda para o Coritiba no último domingo, havia acontecido contra o Grêmio, pela Copa do Brasil, em agosto do ano passado. Diante do San Lorenzo, porém, o time não rendeu o esperado e sofreu para bater de frente com os argentinos.

Os primeiros 10 minutos foram de total domínio do Atlético Paranaense. Apesar de ter mais posse de bola, o time não conseguia criar perigo ao gol do San Lorenzo, que tentava se aproveitar dos contra-ataques. Entretanto, o principal lance do primeiro tempo saiu de uma cobrança de escanteio. Aos 13 minutos, Díaz aproveitou a jogada ensaiada para, de cabeça, finalizar no alto e marcar o primeiro na Arena da Baixada.

O gol sofrido não fez bem ao Atlético Paranaense, que ficou perdido em campo. Ele não conseguia acertar a marcação e dava muitos espaços ao adversário. Ao fim do primeiro tempo, muitas vaias por parte da torcida, que mostrou um claro descontentamento com o rendimento atleticano.

Na volta do intervalo, o Atlético Paranaense entrou com duas mudanças. Felipe Gedoz e Pablo nos lugares de Matheus Rossetto e Douglas Coutinho, respectivamente, e o time foi mais incisivo. A pressão durou pouco e o San Lorenzo equilibrou a partida depois dos 15 minutos. Mais eficiente, não demorou para os argentinos marcarem o segundo. Aos 22, Belluschi colocou na cabeça de Blandi, que subiu mais que a zaga adversária e cabeceou firme para ampliar o placar.

Assim como no primeiro tempo, o gol desorganizou o Atlético Paranaense. Paulo Autuori até mexeu no time colocando o experiente Grafite, mas nada adiantou. O San Lorenzo ainda ampliou aos 46 minutos. Botta, de fora da área, marcou o último para confirmar a importante vitória argentina.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-PR 0 x 3 SAN LORENZO

ATLÉTICO-PR - Weverton; Zé Ivaldo, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Matheus Rossetto (Felipe Gedoz), Lucho González (Grafite), Nikão e Douglas Coutinho (Pablo); Eduardo da Silva. Técnico: Paulo Autuori.

SAN LORENZO - Navarro; Díaz, Angeleri, Caruzzo e Rojas; Mussis, Ortigoza (Mercier), Belluschi, Merlini (Coloccini) e Cerutti (Botta); Blandi. Técnico: Diego Aguirre.

GOLS - Diaz, aos 13 minutos do primeiro tempo; Blandi, aos 22, e Botta, aos 46 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Thiago Heleno (Atlético-PR); Díaz, Mussis e Rojas (San Lorenzo).

ÁRBITRO - Wilmar Roldán (Fifa/Colômbia).

RENDA - R$ 476.905,00.

PÚBLICO - 22.786 pagantes.

LOCAL - Arena da Baixada, em Curitiba (PR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.