Atraso nos salários conturba Botafogo

A declaração pública do presidente do Botafogo, Mauro Ney Palmeiro, de que Romário recebera uma proposta irrecusável do clube e desistiria de seguir para as Laranjeiras ou para a Gávea, ainda na noite de quarta-feira, quase provocou uma greve dos jogadores do Botafogo. Insatisfeitos por causa no atraso dos salários, eles ameaçaram não treinar nesta quinta-feira de manhã. Quem teve de agir como bombeiro foi o técnico Artur Bernades. Apesar de não negar o direito de protesto dos jogadores, conversou calmamente com o grupo e acabou ajudando a convencê-los de que a paralisação poderia não ser benéfica. Os jogadores, porém, só decidiram treinar depois de um contato com os dirigentes e depois da confirmação de que Romário havia mesmo acertado com o Fluminense.

Agencia Estado,

01 Agosto 2002 | 19h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.