1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail
Futebol Internacional

Audiência de Neymar na Espanha é remarcada para 14 horas

- Atualizado: 02 Fevereiro 2016 | 14h 23

Advogado tinha outra sessão no período da manhã desta terça

Marcada inicialmente para esta terça-feira, às 10 horas (7h de Brasília), a audiência de Neymar no Superior Tribunal Nacional, em Madri, foi adiada em algumas horas. O juiz Jose De la Mata atendeu ao pedido do advogado José Ángel González Franco, que tinha outra sessão no mesmo horário, e reagendou o depoimento do jogador brasileiro para as 17h (14h de Brasília).

O atacante vai depor como investigado por sua polêmica transferência para o Barcelona em 2013. O pai, Neymar Da Silva Santos, e a mãe, Nadine Gonçalves Da Silva Santos, também foram convocados pela Justiça espanhola. 

Atacante do Barcelona vai explicar à Justiça detalhes da saída do Santos

Atacante do Barcelona vai explicar à Justiça detalhes da saída do Santos

De acordo com fontes ligadas ao jogador, o argumento principal da defesa será tentar mostrar que os  40 milhões que o Barcelona pagou para ele – na visão da defesa esse valor é o centro da questão jurídica – eram uma multa por quebra de contrato que foi tributada como direitos de imagem e não como os salários do jogador. Para o Ministério Público da Espanha, no entanto, houve corrupção e fraude na transação. As multas cobradas pelo MP somam 62,6 milhões de euros (R$ 272,7 milhões).

Justiça da Espanha abriu um processo para investigar a transferência a pedido do grupo de investidores DIS, que tinha 40% dos direitos econômicos do jogador quando o brasileiro atuava pelo Santos. 

A Justiça quer esclarecimentos sobre o valor real da transação de Neymar. Inicialmente, o Barcelona informou que o negócio custou ao clube 57,1 milhões de euros (R$ 249, 6 milhões na época). Oficialmente, o Santos recebeu 17,1 milhões de euros (R$ 74, 8 milhões). Depois, o Barça admitiu que gastou 86,2 milhões de euros (R$ 364,2 milhões). Por causa do imbróglio, o presidente do clube à época, Sandro Rosell, renunciou ao cargo. No seu lugar, assumiu Josep Bartomeu.

O Grupo DIS tinha direito a 40% do valor da transferência de Neymar, mas alega que recebeu uma compensação menor do que deveria porque parte do valor foi ocultado. O grupo se considera prejudicado duas vezes. Primeiro: o acordo dos 40 milhões de euros para garantir ao clube espanhol a contratação do jogador desrespeita o livre mercado. Segundo: contratos anexos assinados pelo pai de Neymar serviram para ocultar o valor real, o que supõe delito de "fraude por simulação contratual".

 
 

Uma fonte ligada ao Grupo DIS disse ao Estado que "a ação é exclusivamente por simulação, mas é óbvio que vai ter algo relacionado ao Fisco, porque a Espanha vai querer cobrar os valores. Apareceram com 17,1 milhões de euros e o valor real é de mais de 100 milhões".

A N&N Consultoria, empresa do pai de Neymar, firmou, em 2011, contrato com o Barcelona, contendo obrigações e direitos recíprocos, fixando uma cláusula penal de 40 milhões de euros, devida pela parte que descumprisse os termos e condições do acordo. "Se a N&N Consultoria descumprisse, teria que pagar tal montante sozinha ao Barcelona, sem qualquer participação ou solidariedade do Santos, DIS e Teisa", diz nota divulgada pela empresa de Neymar. Por isso, o pai de Neymar acredita que o Grupo DIS não tem direito ao montante.

Estiveram nesta segunda-feira no Superior Tribunal Nacional em Madri, Bartomeu e Rosell. Ambos se negaram a responder aos questionamentos do juiz Jose de la Mata e ratificaram depoimentos anteriores, entre julho de 2014 e fevereiro de 2015. Rosell reafirmou a legalidade operação; Bartomeu disse que não teve envolvimento na contratação.

Josep Maria Bartomeu e Sandro Rosell deixaram o Superior Tribunal Nacional, em Madri, juntos

Josep Maria Bartomeu e Sandro Rosell deixaram o Superior Tribunal Nacional, em Madri, juntos

Dois ex-presidentes do Santos (Luis Álvaro de Oliveira e Odilio Rodrigues Filho) deverão ser ouvidos no Brasil no mês de março. Há no processo uma ação criminal e outra cível. Na ação criminal, os envolvidos podem ser condenados de três a oito anos de prisão – desde que seja julgado procedente.

Outro argumento relevante da defesa é a legalidade perante à Fifa. Uma comissão da Fifa teria vindo ao Brasil para avaliar a transação e deu o aval.

Paralelamente à convocação desta terça-feira na Espanha, Neymar está sendo investigado no Brasil. Na semana passada, ele foi denunciado pelo Ministério Público Federal por sonegação e falsidade ideológica.

De acordo com reportagem publicada pela revista Veja, o jogador é acusado de receber a maior parte de seus ganhos por empresas dos seus pais que só existiam no papel para pagar menos impostos. A Justiça ainda vai analisar o pedido e, então, decidir se vai acatar a denúncia. A pena pode chegar até a cinco anos de prisão.

Futebol Internacional
Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX