1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Futebol Internacional

Audiência de Rosell em caso Neymar é adiada para julho, após a Copa

Agência Estado

09 Junho 2014 | 17h 21

Barcelona é acusado de cometer crime fiscal na contratação do ex-atletas do Santos; Ex-presidente dará depoimento no dia 22 de julho

O depoimento que o ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, daria à Justiça na próxima sexta-feira, depois de o ex-dirigente do clube ter sido indiciado sob acusação de apropriação indébita na contratação do atacante Neymar, foi adiada para o dia 22 de julho.

O juiz do caso, Pablo Ruz, acabou remarcando a data da audiência após o advogado de defesa de Rosell, Ignacio Ayala, alegar que precisava comparecer a outro julgamento agendado também para esta sexta.

Na semana passada, a Agencia Tributária da Espanha concluiu que o Barcelona cometeu crime fiscal na contratação de Neymar. O fisco espanhol apontou que o clube sonegou mais de 9 milhões de euros no negócio que fez o atacante trocar o Santos pela equipe catalã. Também indiciado neste caso por causa de suspeita de sonegação de impostos, o Barça terá de responder na Justiça em audiência marcada também para 22 de julho.

Wilton Junior/Estadão
Audiência está marcada para o dia 22 de julho

Por causa das acusações que pesavam contra ele, Rosell renunciou à presidência do Barcelona em janeiro passado. No mês seguinte, com o objetivo de tentar se livrar de punições da Justiça, o clube informou que pagou 13,5 milhões de euros às autoridades fiscais da Espanha, no que chamou de "autoliquidação complementar" de sua dívida tributária com o fisco. Na época, porém, alegou que já estaria com suas obrigações fiscais cumpridas e que "não devia nada à Fazenda" daquele país.

O fato, entretanto, é que o próprio Barça se viu obrigado a admitir que o valor total investido na contratação de Neymar foi bem maior do que o inicialmente anunciado. Em um primeiro momento, o clube informou que pagou 57,1 milhões de euros pelo craque. Porém, após conselheiros do clube contestarem a negociação, Josep Bartomeu, substituto de Rosell na presidência, confirmou o pagamento total de 86,2 milhões de euros nas transações envolvendo a ida do atacante para o time, sendo que dentro deste montante foi incluído um adiantamento pago às empresas do pai do atleta, o que ocorreu ainda em 2011.

Futebol Internacional