Bahia aprendeu com fracasso na Copa

A Copa dos Campeões serviu como uma espécie de pré-temporada de luxo para a equipe do Bahia que vai disputar o Campeonato Brasileiro. O time que jogou o torneio sem os dois principais atletas do primeiro semestre o meia Preto e o atacante Sérgio Alves, respondeu positivamente, principalmente pelo poder de recuperação demonstrado: a equipe estreou perdendo por 4 a 0 para o Palmeiras e depois venceu os dois jogos seguintes, 3 a 1 contra o Atlético Mineiro e 1 a 0 diante do Vasco conseguindo a classificação, sendo eliminado na quartas de final pelo Paysandu por 2 a 1. Entre os novatos desconhecidos contratados pelo Bahia, o atacante Nei Fabiano, oriundo do futebol amazonense foi o que mais agradou ao treinador Bobô. Além de Nei Fabiano, a equipe contratou jogadores de times modestos como os zagueiro Maurício e Etto, os meias Pingo e Janilson todos do Fluminense de Feira de Santana, os meias Gil Baiano e Carlinhos do Brasiliense e o lateral-esquerdo Calisto do CSA. Time base do Bahia: Émerson; Daniel, Selmo Lima, Marcelo Souza e Chiquinho; Ramalho, Bebeto Campos, Carlinhos e Gil Baiano; Róbson e Nonato. Técnico: Bobô.

Agencia Estado,

09 Agosto 2002 | 15h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.