Site oficial do Atlético-MG
Site oficial do Atlético-MG

Bahia busca virada, mas Robinho dá empate ao Atlético-MG com golaço em Salvador

Resultado não foi suficiente para deixar os atleticanos mais próximos do G7

Estadao Conteudo

12 Novembro 2017 | 20h30

Na briga pelo mesmo objetivo de buscar uma vaga no G7 do Campeonato Brasileiro, que garante vaga na Copa Libertadores, Bahia e Atlético Mineiro empataram por 2 a 2, nesta tarde de domingo, na Arena da Fonte Nova, em Salvador, pela 34.ª rodada da competição. O time da casa chegou a buscar uma virada na etapa final do confronto, mas Robinho, que já havia aberto o placar do duelo, marcou um golaço para garantir a igualdade ao time alvinegro.

+ Veja como foi a partida entre Bahia e Atlético-MG

+ De dispensável a destaque, Deyverson marca duas vezes e Palmeiras bate o Flamengo

O resultado, porém, não foi suficiente para deixar os atleticanos mais próximos do G7, pois a equipe mineira, décima colocada, foi aos 46 pontos, enquanto o Flamengo, atual sétimo colocado, já tem 50. Também com 46 pontos, mas em vantagem nos critérios de desempate, o Bahia ocupa o nono lugar - o Vasco, que empatou com o São Paulo neste domingo, é o oitavo na tabela, com 49 pontos.

Mesmo repleto de reservas e com improvisações, por causa de contusões e suspensões, o Atlético Mineiro saiu na frente logo aos quatro minutos de jogo neste sábado. Valdívia recebeu na intermediária e enfiou em velocidade para Robinho. Ele entrou na área e, com calma, tocou por cima na saída de Jean. O visitante quase ampliou com Otero, de falta, aos nove minutos. Todos imaginavam que ele fosse cruzar. Mas Jean, atento, defendeu bem.

Aos poucos, porém, o Bahia melhorou, teve mais volume de jogo e começou a arriscar de longe. Mesmo tendo finalizado nove vezes no primeiro tempo, só uma delas foi realmente perigosa. Isso aconteceu aos 34 minutos, quando Zé Rafael, mesmo desequilibrado, lançou Mendoza nas costas da defesa e ficou de frente com Victor. Mas bateu torto e a bola tirou tinta da trave esquerda. Faltou, não só neste lance, precisão nas finalizações baianas.

No segundo tempo, o Atlético entrou mudado com Luan no lugar de Otero, dando a impressão de que seria mais ofensivo. Mas levou uma blitz do Bahia e sofreu a virada.

Aos sete minutos, Bremer tentou cortar de forma imprudente e atropelou Zé Rafael dentro da área. Pênalti claro. Na cobrança, Edigar Junio deslocou Victor que caiu para a esquerda e viu a bola entrar do outro lado. Tudo igual aos nove minutos.

O Bahia manteve a pressão, diante de um Atlético apático e sem força. Aos 10 minutos, Mendonza quase marcou ao chutar forte, a bola tocou na rede pelo lado de fora e enganou parte da torcida. A virada ocorreu aos 18 minutos. Zé Rafael cobrou falta da intermediária em direção à grande área. A confusa defesa atleticana não cortou, alegando impedimento. Três baianos foram na bola, que bateu na testa de Edigar Junio em direção ao chão e entrou no canto esquerdo de Victor.

O gol, porém, só foi confirmado dois minutos depois porque os mineiros alegaram impedimento e até toque no braço de Edigar Junio. O árbitro paulista Raphael Klaus consultou seus auxiliares e confirmou o gol baiano. Com a torcida apoiando nas arquibancadas, o Bahia punha fogo no jogo, mas numa falha sofreu o empate.

Luan fez o lançamento para Robinho, que entrou nas costas de Tiago. Matou a bola no peito e nem deixou ela tocar no chão, batendo de primeira e no ângulo. Um golaço, aos 28 minutos.

O jogo ficou mais equilibrado e, ao mesmo tempo, aberto. Qualquer um poderia marcar o terceiro gol. E o mesmo quase que foi mineiro aos 36 minutos, quando Rafael Moura invadiu a área pelo lado esquerdo e soltou a bomba. Jean defendeu em dois tempos.

Na quarta-feira, às 21h45, o Atlético-MG vai enfrentar o Vasco em São Januário, no Rio de Janeiro. No dia seguinte, de novo, na Fonte Nova, o Bahia recebe o Santos, a partir das 21 horas.

FICHA TÉCNICA

BAHIA 2 X 2 ATLÉTICO-MG

BAHIA - Jean; Eduardo, Tiago, Thiago Martins e Juninho Capixaba; Juninho, Renê Júnior, Zé Rafael (Vinícius) e Allione (Régis); Mendoza e Edigar Júnio. Técnico: Paulo César Carpegiani.

ATLÉTICO-MG - Victor; Bremer, Roger Bernardo, Mateus Mancini e Fábio Santos; Yago (Marlone), Elias, Valdívia (Gustavo Blanco) e Otero (Luan); Robinho e Rafael Moura. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

GOLS - Robinho, aos quatro minutos do primeiro tempo; Edigar Junior, aos nove e aos 18, e Robinho, aos 28 do segundo.

ÁRBITRO - Raphael Klaus (SP).

CARTÕES AMARELOS - Zé Rafael (Bahia); Matheus Mancini, Valdívia, Otero e Luan (Atlético-MG).

RENDA - R$ 917.391,00.

PÚBLICO - 29.769 pagantes (31.637 total).

LOCAL - Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.