Pierre Philippe Marcou / AFP
Pierre Philippe Marcou / AFP

Bale se contradiz sobre suas condições físicas para a final da Liga dos Campeões

Galês diz que entenderá se iniciar a partida no banco de reservas

Estadão Conteúdo

31 Maio 2017 | 06h06

O atacante galês Gareth Bale admitiu, em entrevista nesta terça-feira, em Madri, que não está completamente recuperado fisicamente para a grande final da Liga dos Campeões da Europa, neste sábado, em Cardiff, no País de Gales, diante da Juventus. Entretanto, o jogador, que já era dúvida para o técnico francês Zinedine Zidane, se contradisse ao falar das suas condições para o jogo para grupos diferentes de jornalistas.

"Não estou 100%, mas estou trabalhando para ficar à disposição até a final. Estou trabalhando duro para recuperar as minhas condições e o meu tornozelo", revelou o camisa 11 do time madrilenho a um grupo de repórteres. No entanto, minutos antes, Gareth Bale havia dito à equipe da Real Madrid TV, canal oficial do clube, que se sentia "muito bem" e "totalmente recuperado" da cirurgia no tornozelo.

O jogador, de 27 anos, disse que sabia que poderia ser preterido da escalação como titular por Zinedine Zidane devido à lesão e à ausência nos últimos jogos do time. Mas o atleta garantiu que não nutrirá ressentimentos caso inicie a partida no banco de reservas.

"Foi uma temporada muito difícil para mim. Tive a minha operação, que realmente causou todos os meus problemas. Tive muita falta de sorte. Fiquei sem jogar por seis ou sete semanas. Eu iria entender se ficasse no banco. Se eu voltar, tenho que fazer a diferença. Desta forma, farei o que puder para o time. O que for melhor para o time é, em última análise, o mais importante", enfatizou Gareth Bale.

A opção para a vaga de Gareth Bale é o espanhol Francisco "Isco" Alarcón, que vem substituindo o galês nestas partidas em que ele esteve fora da equipe. O jogador tem feito boas exibições e foi elogiado por companheiros. Entre eles, o brasileiro Casemiro. "Isco está em um grande momento e Bale não tem que provar nada", frisou o volante.

SERGIO RAMOS DEMONSTRA CONFIANÇA

O capitão do Real Madrid exaltou, nesta terça-feira, em entrevista coletiva, a possibilidade de erguer a taça da Liga dos Campeões da Europa pela segunda vez seguida, feito inédito desde a mudança do formato de disputa da competição, na temporada 1992/1993.

"Como capitão, seria um sonho realizado e, assim, poderia morrer tranquilo. Oxalá possamos trazer essa Liga (para Madri). Três em quatro anos (títulos) seria uma maravilha", destacou o zagueiro do Real Madrid.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.