Barcelona ri da desgraça do Real

Duas cidades amanheceram em festa nesta quinta-feira, depois da vitória do Deportivo sobre o Real Madrid, na noite de quarta-feira, na decisão da Copa do Rei da Espanha. La Coruña comemorou a proeza de seus heróis, que carregaram o troféu conquistado nos 2 a 1 em pleno estádio Santiago Bernabéu. E Barcelona curtiu a desgraça dos rivais de Madri, como se o time da casa tivesse participado também da final do torneio. "Não posso negar que fiquei feliz", admitiu Joan Gaspart, presidente do Barça. O dirigente, na verdade, resumiu o que os torcedores catalãos sentiram quando se tornou irreversível a desgraça dos inimigos de Madri. "O Real havia preparado mais uma exibição de prepotência, mas sofreu duro golpe", escreve o jornal El Mundo Deportivo, que tem redação central em Barcelona e claramente puxa a sardinha para a brasa dos times locais. A euforia em La Coruña foi mais exagerada e justificada. Milhares de torcedores madrugaram para esperar a delegação do Deportivo no aeroporto da cidade e lotaram o estádio Riazór para admirar o troféu. Mas a festa foi rápida e a palavra de ordem, dada pelo presidente Augusto César Lendoiro, foi a de transferir as comemorações para sábado. "O dia é de trabalho", avisou o dirigente. "Devemos treinar para o jogo com Rayo Vallecano". O Real ainda não digeriu a decepção no dia em que celebrava o seu centenário de fundação. Os jornais locais criticaram o desempenho da equipe e colocaram em dúvida o projeto de conquistar o título doméstico e o da Liga dos Campeões da Europa. Para complicar, dentro de dez dias haverá o clássico com o Barcelona, fora de casa. Além disso, na última rodada da temporada, está previsto o duelo com o Deportivo, em La Coruña.

Agencia Estado,

07 Março 2002 | 16h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.