Chema Moya / EFE
Chema Moya / EFE

Benzema cobra explicações sobre sua ausência nas convocações da França

Atacante contaria com apoio do novo presidente francês para voltar ao time nacional

Estadão Conteúdo

17 Maio 2017 | 11h14

O atacante Karim Benzema, do Real Madrid, quer que o técnico da seleção francesa, Didier Deschamps, explique com clareza os motivos pelos quais ele deixou de convocá-lo para defender o time do país. O jogador está há dois anos fora da lista do técnico, desde que foi acusado de extorquir o colega de time Mathieu Valbuena para não divulgar um vídeo íntimo envolvendo o meia.

"Se o treinador me disser olhando nos olhos que o motivo (da não convocação) é meu futebol, eu vou continuar trabalhando", disse Benzema ao jornal esportivo L'Equipe nesta quarta-feira. "Se for outro motivo, ele deveria dizer isso na minha cara e aí estaremos entendidos", completou o jogador, que defendeu a seleção francesa pela última vez em outubro de 2015. Finalista da Liga dos Campeões com o Real Madrid e com a possibilidade de ganhar o Campeonato Espanhol, o atacante diz que não há explicação - no esporte - para sua ausência da seleção.

Na entrevista, Benzema dá a entender que pode contar com um apoio inusitado para voltar à seleção: o do novo presidente da França, Emmanuel Mácron. Segundo o jogador, os dois se conheceram antes de Macron iniciar sua carreira política, se encontraram algumas vezes, chegando a jantar juntos, e que mantiveram contato por mensagens.

Quando o escândalo veio à tona em 2015, o então primeiro-ministro francês, Manuel Valls, e até o presidente François Hollande, deram declarações contra Benzema, dizendo que o jogador não era um exemplo de moralidade e que não deveria ter espaço no time nacional. "Quando seu nome é citado pelo primeiro-ministro, e também pelo presidente, a situação fica mais difícil". Apesar de negar que esteja esperando uma intervenção direta do novo presidente, Benzema disse que espera que Mácron fale dele "de uma forma melhor".

Mais conteúdo sobre:
futebol França Karim Benzema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.