1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Boa atuação pode dar vaga na seleção a Fernandinho

Luiz Antônio Prósperi - Enviado especial a Brasília - O Estado de S. Paulo

24 Junho 2014 | 05h 00

Meia entrou no segundo tempo, no lugar de Paulinho, e melhorou o desempenho do setor, além de marcar um gol

Fernandinho entrou na vaga de Paulinho, na volta dos times para o segundo tempo, quando o Brasil batia Camarões por um apertado placar de 2 a 1. Jogou 45 minutos, participou do terceiro gol e ainda fez o quarto. Era a senha que o técnico Luiz Felipe Scolari tinha nas mãos para dar uma cara nova à seleção. Fernandinho fez em um tempo de jogo o que Paulinho não fez em duas partidas e meia. E, até por isso, deve continuar no time, a não ser que Felipão tenha aquelas recaídas de teimosia e insista com Paulinho.

"A entrada do Fernando foi boa. Ele criou situação de ataque, teve bom passe. Colocar ele no time vem da observação do dia a dia do nosso trabalho. Tem uma velha frase na vida que resume tudo: a natureza não dá saltos, aquilo que plantamos vamos colhendo dia a dia", disse Felipão, sem garantir a permanência de Fernandinho no time titular.

Na véspera do jogo de ontem, o técnico havia acenado que Paulinho não corria o menor risco de deixar o time. "Confio plenamente no Paulinho, por sua dedicação, empenho, tanto nos treinamentos como nos jogos. Ele tem a minha confiança”, disse Felipão com todas as letras, dando o aviso de que não pensava em mudar a seleção.

Alex Silva/Estadão
Fernandinho marcou o quarto gol do Brasil

O treinador agora vive outra situação. Ele tem quatro dias para decidir se vai mandar Paulinho para o banco. Diante do que comentou ontem, é bem provável que o ex-volante do Corinthians vá mesmo parar na reserva. "Não sei se Fernando vai ficar no time. Vou analisar com calma a partir de amanhã (hoje), quando essa adrenalina do pós-jogo estiver fora do corpo, sem essa emoção. Depois, quando observarmos o vídeo (do jogo), podemos interpretar de outra forma como ele se comportou. Vamos analisar o Chile e, aí sim, pensar no que é melhor para a seleção."

A paciência do treinador se esgotou no primeiro tempo. Ao trocar Paulinho por Fernandinho, arrumou a seleção. Corrigiu a marcação no setor direito, onde Daniel Alves sofria com bolas nas costas, e ainda deu mais gás na saída de bola, na transição da defesa para o ataque. Função que Paulinho exercia com a velocidade de um caramujo. O ex-volante do Corinthians em nenhum momento conseguiu marcar e pouco chegou ao ataque.

Fernandinho fez tudo o que Paulinho não conseguiu. "O importante é que a gente conseguiu a classificação em primeiro lugar. Eu acho que conseguimos retomar o espírito que o time vinha tendo e a partida de hoje foi fundamental para isso", disse Fernandinho. "O diferencial hoje não foi o resultado, mas sim a maneira como a equipe jogou, retomando o espírito que tínhamos na Copa das Confederações. A gente deixou a desejar um pouco nesses dois primeiros jogos da Copa, mas conseguimos reverter isso."

Copa 2014