1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Bola aérea da Bósnia preocupa argentinos em estreia

AE - Agência Estado

12 Junho 2014 | 15h 34

É inegável que a Argentina se deu bem no sorteio dos grupos da Copa do Mundo. Cabeça de chave do Grupo F, os hermanos terão como adversários a Bósnia-Herzegovina, o Irã e a Nigéria. E são os bósnios, adversários da estreia, que parecem ser motivo de maior preocupação para a seleção sul-americana, até pelo forte componente emocional que sempre envolve uma primeira rodada de Mundial.

Argentina e Bósnia se enfrentam neste domingo, na primeira partida desta Copa a ser disputada no Maracanã. Em entrevista coletiva realizada na Cidade do Galo, em Belo Horizonte, o zagueiro argentino Garay destacou nesta quinta-feira o jogo aéreo como a principal arma dos bósnios. "Eles têm jogadores altos, então não podemos lhes dar bolas paradas ou escanteios", declarou o zagueiro do Benfica.

Garay citou o centroavante Dzeko como destaque da equipe bósnia, mas adiantou que nem com o atacante do Manchester City a Bósnia será capaz de amedrontar os argentinos. "Temos que ganhar porque somos a Argentina. São noventa minutos e temos que ter paciência", ressaltou.

Já o volante Biglia falou nesta quinta sobre a importância de todo o time participar no sistema defensivo para que a Argentina tenha uma defesa sólida durante o Mundial. "A primeira linha de defesa vem dos atacantes. Nós somos uma equipe muito ofensiva, mas isso não quer dizer que tenhamos uma defesa frouxa", disse o meia da Lazio, recuperado de uma contusão na coxa direita.

Como não poderia deixar de ser, Lionel Messi foi descrito pelos dois colegas como referência da equipe argentina. Biglia fez elogios rasgados ao capitão argentino, que acredita ainda ser o jogador "número um" do futebol mundial. "Leo é um líder muito positivo e te mostra a cada dia estar à altura do posto. Nos surpreende sempre, mesmo na terra de nosso rival", declarou o jogador, se referindo ao fato de que o astro vem sendo reverenciado de forma efusiva pelos torcedores na capital mineira.

Copa 2014