Lucas Uebel / Grêmio FBPA
Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Botafogo e Grêmio apostam no mistério em duelo pelas quartas da Libertadores

No lado alvinegro, Carli, Lindoso e João Paulo são dúvidas; no tricolor, Luan e Geromel podem não jogar

Estadão Conteúdo

13 Setembro 2017 | 07h27

Botafogo e Grêmio fazem nesta quarta-feira um importante confronto às 21h45, no estádio do Engenhão, no Rio, pela rodada de ida das quartas de final da Copa Libertadores. E apesar de adotarem estilos diferentes, as duas equipes parecem ter apostado na mesma estratégia para o confronto: o mistério sobre as suas escalações.

Para o time carioca, que se notabilizou pelo estilo de jogo preciso e letal nos contra-ataques, as principais dúvidas recaem sobre as presenças do zagueiro argentino Joel Carli, do volante Rodrigo Lindoso e do meia João Paulo, além do atacante Marcos Vinícius, todos recuperados de problemas musculares. A única certeza é de que Gilson será o substituto do suspenso Victor Luis na lateral esquerda.

"Mais um jogo decisivo no ano. Essa pausa foi benéfica por conta da situação dos lesionados. Seria melhor ter contato com todos nesse período, mas os quatro estão relacionados para o jogo. Mas quem inicia ou não eu vou fazer uma surpresa. Só dessa vez", brincou o técnico Jair Ventura.

Ainda assim, com ou sem a presença de alguns titulares, Jair Ventura lembrou que o surpreendente Botafogo passou por difíceis obstáculos na competição como Colo-Colo, Olimpia, Estudiantes e Nacional, do Uruguai. Ganhou, assim, confiança para encarar o Grêmio.

"A palavra é equilíbrio. O grupo é maravilhoso. Sempre tem um ou outro que sofre mais, mas na maioria somos equilibrados", avaliou o técnico, minimizando o entusiasmo após a vitória sobre o Flamengo no último domingo, pelo Campeonato Brasileiro. "A cabeça está boa. Somos sempre os mesmos, independentemente do resultado".

Um dos times mais badalados da temporada devido ao futebol vistoso e ofensivo, o Grêmio tem como principais dúvidas a escalação ou não do zagueiro Pedro Geromel e do atacante Luan. E, embora a dupla não tenha treinado nesta terça-feira, o técnico Renato Gaúcho também reforçou o mistério para o confronto.

"Às vezes o jogador não treina com bola e faz outro tipo de trabalho", ponderou o treinador, desconversando sobre a ausência de Luan e Pedro Geromel. "Dependendo do jogador vale a pena esperar até o último minuto se vai jogar ou não".

Renato Gaúcho avisou ainda que o Grêmio não vai repetir a apática atuação do último sábado, quando perdeu para o Vasco no Rio, pelo Brasileirão. "Conversei com o grupo logo depois do jogo no vestiário. Às vezes, é necessário um puxão de orelhas. Fica entre mim e o grupo. O que posso falar é que não vai acontecer a mesma coisa", assegurou. "Não pode dar mole. Temos outra pedreira, outra carne de pescoço".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.