Botafogo preocupado com bolas aéreas

Tentando manter a boa fase, o Botafogo enfrenta o Paraná nesta quinta-feira, às 20h30, no Maracanã, pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. O clube carioca pretende usar a experiência do técnico Abel Braga no futebol paranaense para levar vantagem neste confronto. Em 1997, Abel dirigiu o Atlético-PR e foi campeão paranaense. Em 1999, no Coritiba, ele ficou novamente com o título estadual. Em outubro do mesmo ano, assumiu o Paraná, ficando até o início de 2000, quando se transferiu para o Vasco. "O Paraná tem alguns jogadores que eu puxei para o time profissional. É um time jovem e perigoso", disse o treinador do Botafogo. Abel também destacou a necessidade de uma vitória sem sofrer gols. "É melhor ganhar por 1 a 0 do que vencer por 3 a 1", afirmou ele, atento ao regulamento da Copa do Brasil que valoriza os gols marcados fora de casa. O técnico não tem problemas para definir a escalação e deve manter o time que perdeu para o Corinthians, por 3 a 1, na última rodada do Torneio Rio-São Paulo. Abel confessou estar preocupado com as jogadas aéreas, considerada a principal arma do time paranaense. Contra a equipe paulista, os três gols sofridos aconteceram de lances de bola cruzadas na área. "O Márcio, Ageu e André são exímios cabeceadores. É preciso corrigir o posicionamento dos zagueiros", avisou Abel. "Esses erros não podem voltar a acontecer contra o Paraná." O lateral-esquerdo Leonardo Inácio acha que o time do Paraná jogará na retranca. "Eles deve vir com dez jogadores atrás. De repente, até com o presidente também", afirmou o atleta.

Agencia Estado,

27 Março 2002 | 19h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.