Botafogo-SP não perdoa o Palmeiras

O bom relacionamento entre as diretorias do Botafogo e do Palmeiras sofreu um grande arranhão por causa do zagueiro Thiago Mathias. O jogador chegou a viajar até Ribeirão Preto, mas acabou cancelando sua apresentação no estádio Santa Cruz depois de receber um telefonema de Sebastião Lapolla, supervisor do Palmeiras. A cena chegou a ser constrangedora, porque a diretoria botafoguense tinha armado um grande esquema para apresentar seu "grande reforço" na temporada. Convocou a imprensa e preparou até uma bateria de fogos. A frustação foi total. Para o vice-presidente do Botafogo, Gilberto Pinhata, seu clube levou uma "rasteira", considerando a atitude do "co-irmão" como antiética. Para amenizar a situação, Lapolla ofereceu o zagueiro Eduardo, que defendeu o Palmeiras B no Paulista da Série A3. O nome será avaliado pelo técnico Edson Porto. Já o presidente do Palmeiras, Mustafá Contursi, teria telefonado aos dirigentes do Botafogo para pedir desculpas pela confusão, uma vez que o técnico Vanderlei Luxemburgo não liberou o jogador. Rebaixado ano passado, o Botafogo vai disputar o Campeonato Brasileiro da Série B. A sua diretoria contratou 11 reforços e mantém a confiança para a estréia do time, confirmada para a próxima terça-feira, contra o Remo, em Belém.

Agencia Estado,

06 Agosto 2002 | 15h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.