1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Brasil ignora prazo final para entrega dos estádios para a Copa do Mundo

Almir Leite e Paulo Favero - O Estado de S. Paulo

21 Dezembro 2013 | 15h 55

Seis obras estão atrasadas e só serão inauguradas em 2014 e com custo maior do que o previsto

SÃO PAULO - Era para estar tudo pronto em 31 de dezembro. Pelo menos foi isso o acordado com a Fifa. O Brasil se comprometeu a finalizar os 12 estádios que receberão jogos da Copa do Mundo de 2014 até o último dia do ano anterior da competição. Ou seja, as seis arenas ainda em construção ou em reforma deveriam estar concluídas neste mês. Isso não vai ocorrer, como todos sabem. Aliás, nenhuma delas será inaugurada em 2013, e por motivos diversos, conforme informa vídeográfico da TV Estadão.

Há caso de atraso motivado por acidente, como o da Arena Corinthians. Há caso de atraso por falta de dinheiro para honrar o cronograma da obra, como ocorre na Arena da Baixada. Há caso de atraso até para que a presidente Dilma Rousseff participe da cerimônia de inauguração, situação verificada nas arenas das Dunas, Amazônia e Pantanal. E o Beira-Rio simplesmente não tem prazo definido de entrega, embora a promessa também para 31 de dezembro.

No início do mês, na Costa do Sauipe, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, mostrava um misto de irritação e conformismo com o não cumprimento dos prazos na entrega dos estádios. Mas, em vez de chutar novamente o traseiro do Brasil, preferiu ser objetivo. "Aceitamos receber três estádios em janeiro e dois no máximo em fevereiro", disse. Valcke já sabia que a Arena Corinthians, em Itaquera, preparada com a configuração para a abertura da Copa, ou seja, com a instalação das arquibancadas temporárias, só deverá estar à disposição em meados de abril - dia 15.

SÓ EM JANEIRO

Os três estádios a serem inaugurados em janeiro são os de Cuiabá, Natal e Manaus – este último manteve o prazo, apesar do acidente que culminou na morte de um operário e no fechamento de parte do canteiro de obras para trabalho da perícia. O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse que as datas serão definidas de acordo com a agenda da presidente Dilma Rousseff. "Os governadores querem a presença dela. Eles nos ofereceram várias datas em dezembro, mas não foi possível. Fica para janeiro."

ITAQUERA A TODO VAPOR

Pelo novo cronograma, estabelecido após o acidente ocorrido no fim de novembro e que causou a morte de dois trabalhadores, a Arena Corinthians entra janeiro com carga máxima de atenção na área avariada pela queda da estrutura da cobertura. Não houve impacto no piso térreo, mas é necessário refazer a laje do segundo piso. Os danos maiores ocorreram no terceiro pavimento e também é preciso reconstruir a parte do painel de led da fachada.Como se trata do estádio da abertura, a Fifa estará de olho, atenta.

Na Arena Pantanal, a promessa é de que até 20 de janeiro a área interna esteja concluída. "Vamos entregar a arena com o entorno também finalizado", avisa o secretário da Secopa local, Maurício Guimarães. Isso quer dizer que a área estará pavimentada e gramada, com a iluminação pronta, estacionamento demarcado, entre outros itens. Mas do lado interno também haverá o que fazer: a conclusão da instalação das cadeiras, cujo contrato foi motivo de polêmica por causa do preço, considerado alto.

"A qualidade das cadeiras justifica o valor cobrado e até o Ministério Público concordou. Não há polêmica", garante Guimarães. "Em janeiro, vamos finalizar a instalação de todas as cadeiras."

Em Manaus, a Arena da Amazônia corre para ficar pronta ainda em janeiro. Mas o lado de fora ainda estará incompleto. "Estamos preparando o entorno. Com todas as dificuldades logísticas e de ordem climática, pois as chuvas começaram em novembro e não em dezembro, tudo está caminhando bem", garante o coordenador da UGP Copa Manaus, Miguel Capobiango Neto. Mas o primeiro evento-teste, um jogo entre Nacional e Rio Negro, com público de 10 mil pessoas, só deverá ocorrer em fevereiro.

A Arena das Dunas, em Natal, tem previsão de inauguração entre 12 e 20 de janeiro, dependendo da programação da presidente Dilma. Mas é possível que ainda restem acabamentos por fazer e as obras do entorno certamente não estarão concluídas para a estreia.

SINAL DE ALERTA

O Beira-Rio não tem data específica nem para inauguração nem para receber o primeiro evento-teste. E pode ultrapassar fevereiro, ao contrário do que deseja a Fifa. No início de dezembro, Diana Oliveira, vice-presidente do Internacional, disse trabalhar com o período entre janeiro e março para conferir todos os itens que fazem parte da obra, para ver se estão dentro dos padrões técnicos, de conforto e de segurança exigidos, e também para obter o habite-se, necessário para que se possa organizar eventos-teste com presença de público.

Apesar de todos os contratempos, a situação da Arena da Baixada, em Curitiba, também preocupa. O custo da obra aumentou e, apesar dos incentivos do governo estadual, o ritmo de trabalho é lento, segundo se comenta, por falta de dinheiro. "Curitiba é uma das sedes em que estamos enfrentando mais problemas e, claramente, não entregará o estádio antes do fim de fevereiro de 2014. Isto é um fato", admitiu Valcke após participar de uma reunião que teve a presença do presidente do Atlético-PR, Mário Celso Petraglia.

O dirigente, por sua vez, explica as razões do atraso. "O modelo de autogestão, escolhido para viabilizar as obras da Arena dos Paranaenses, trouxe algumas dificuldades, muito mais pela complexidade da modelagem do que por outros motivos. A demora na liberação das parcelas do financiamento, as desapropriações e as mudanças de projeto fizeram com que atrasasse o nosso cronograma. Mas temos a certeza e o orgulho de estarmos contribuindo com a nação, com nossa comunidade e com o evento Copa do Mundo, com um dos melhores estádios, mais bonito e com o custo de menos da metade da média nacional investida nos demais estádios também construídos", diz Petraglia.

O evento-teste será realizado na segunda quinzena de fevereiro.

Copa 2014