André Penner/AP
André Penner/AP

Brasil não teme perder jogadores expulsos para a estreia na Copa

Se alguém receber cartão vermelho contra o Chile, na terça, terá de cumprir suspensão automática no Mundial

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

08 Outubro 2017 | 11h00

Mesmo já classificado para a Copa do Mundo da Rússia, o Brasil vai para o último jogo das Eliminatórias contra o Chile, na terça-feira, com a força máxima e sem se preocupar com possíveis problemas para o ano que vem. Caso algum jogador seja expulso na partida, no Allianz Parque, terá de cumprir suspensão na estreia da seleção no Mundial de 2018.

+ Brasil e Chile serão 'vizinhos' em São Paulo

+ Jogadores aproveitam folga com casamento e viagem

A Fifa determina que a suspensão cumprida na estreia da Copa só vale para expulsões, e não para acúmulo de cartões. O técnico Tite tem cobrado do elenco atenção à partida e a manutenção do nível competitivo. "A seleção está onde está porque levou tudo a sério. Nesse jogo, pode ter certeza, faremos o máximo, com coração e orgulho. O Brasil só joga pela vitória", disse o lateral-esquerdo Alex Sandro.

Nestas Eliminatórias o Brasil teve só uma expulsão. O zagueiro David Luiz recebeu o vermelho logo na terceira rodada, contra a Argentina, em Buenos Aires. Tite comentou na quinta-feira, após o jogo contra a Bolívia, em La Paz, que sua equipe tem sido muito disciplinada. "Quero salientar que tivemos dois jogos difíceis contra Colômbia e Bolívia em que competimos de forma leal e sem levar cartão algum", comentou o treinador.

A partida na terça-feira promete ser disputada pela necessidade do Chile de ganhar para não depender de outros resultados. Os atuais bicampeões da Copa América podem ficar fora da Copa se perderem. Porém, a equipe jamais derrotou o Brasil na casa do adversário. Foram 27 encontros desde 1919, com 21 vitórias e seis empates.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.