1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Calor de Fortaleza é maior preocupação da Holanda para as oitavas

Ciro Campos, Fábio Hecico - O Estado de S. Paulo

24 Junho 2014 | 05h 00

Para entrar em campo às 13h na capital do Ceará, time se prepara treinando ao meio-dia e sob calor intenso

Os holandeses nem bem comemoraram a classificação em primeiro lugar do grupo B e já se deram conta do duro desafio que terão no domingo. Entrar em campo às 13h sob o sol de Fortaleza deixa os jogadores preocupados e deve forçar uma preparação especial para o confronto das oitavas de final.

Nos três jogos da primeira fase, a Holanda só atuou uma vez sob temperatura alta. Foi na estreia, contra a Espanha, em Salvador, com início do jogo às 16h. A seleção jogou as outras duas vezes às 13h, mas foram em cidades com clima mais ameno, como Porto Alegre, local da vitória sobre a Austrália e ontem, em São Paulo, na vitória sobre o Chile.

"Ir para Fortaleza é um problema para todos os times. Temos de pensar que o calor também será um desafio complicado para nossos adversários, fora a distância para viajar até lá", disse o zagueiro Stefan de Vrij ao deixar o Itaquerão ontem.

JF Diório/Estadão
Holanda encara o México na Arena Castelão

O Castelão ainda não recebeu jogos com início às 13h e a partida da Holanda vai marcar essa "estreia". Na Copa das Confederações, no ano passado, espanhóis e italianos reclamaram bastante das altas temperaturas enfrentadas na cidade.

A Holanda já tem se precavido do calor ao treinar geralmente por volta do meio-dia e sob calor intenso em sua concentração na Gávea, no Rio de Janeiro. "Já estamos sabendo o quanto é quente e difícil de jogar em Fortaleza. Vamos ter que nos preocupar com isso para poder fazer um bom jogo", disse o zagueiro Ron Vlaar.

"É um jogo de mata-mata e temos de ter atenção ao qualquer mínimo detalhe, porque não se pode errar", comentou o atacante Dirk Kuyt.

Contra o México, a equipe terá o retorno do atacante Robin Van Persie, que cumpriu suspensão ontem diante do Chile por acúmulo de cartões a amarelos. A ausência do autor de três gols na Copa do Mundo fez a equipe jogar mais recuada e perder a saída veloz para o ataque pelo lado esquerdo.

Copa 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo