1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Camarões promete rápida investigação sobre manipulação de resultado

MARK GLEESON - REUTERS

04 Julho 2014 | 13h 07

A Federação Camaronesa de Futebol prometeu um rápido resultado para sua investigação sobre as alegações de que sete dos jogadores do país estavam envolvidos em um escândalo de manipulação de partidas, após a Fifa ter minimizado as acusações.

A Fecafoot disse nesta sexta-feira ter escrito à revista alemã Der Spiegel, cuja reportagem alegava ter entrevistado uma pessoa condenada por manipulação de jogos que corretamente previu o resultado da partida e a expulsão de um jogador na disputa entre Camarões e Croácia.

Mas Wilson Raj Perumal, que alegadamente fez as previsões para a publicação alemã e afirmou que sete jogadores estavam envolvidos, tem dito que a entrevista aconteceu após a vitória de 4 x 0 dos croatas sobre os camaroneses em 18 de junho, em Manaus.

O meia camaronês Alex Song foi expulso antes do intervalo por uma desnecessária cotovelada nas costas do croata Mario Mandzukic, deixando sua equipe com 10 homens durante grande parte de seu segundo jogo pelo Grupo A.

A Fecafoot informou ter instruído um comitê para chegar a uma rápida conclusão em sua investigação.

"A investigação está em andamento; já pedimos à publicação, por correio, provas tangíveis dessas alegações, as quais eles mantiveram apesar da aparente contestação dos fatos por sua principal fonte", disse a entidade em comunicado.

A federação também acusou a "imprensa internacional" de manchar a imagem do futebol de Camarões e do país. O time atraiu má publicidade antes da Copa, quando jogadores fizeram uma paralisação pedindo mais dinheiro.

A Fifa também pediu à Der Spiegel que entregasse todos os documentos que tem a respeito das alegações de Perumal de que jogadores camaroneses entregaram o jogo.

Ralf Mutschke, chefe de segurança da Fifa, lançou dúvidas sobre as afirmações de Perumal e disse que a entidade que governa o futebol internacional quer ver provas.

"A Fifa tem dúvidas substanciais sobre as alegações publicadas pela Der Spiegel", afirmou em comunicado. "Esse artigo pôs em questão a integridade das partidas da Copa do Mundo da Fifa."

"Nós cuidadosamente monitoramos todos os 56 jogos até agora e vamos continuar a monitorar as oito partidas remanescentes. Até agora não achamos indicação de qualquer manipulação no mercado de apostas de qualquer partida da Copa."