Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Campeonato Carioca sofre para atrair interesse dos torcedores

Sem o Maracanã, torneio perde relevância e não consegue levar bons públicos aos estádios até mesmo em clássicos

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

12 Fevereiro 2018 | 07h00

A cada ano que passa, um dos mais importantes estaduais do País vai perdendo interesse por parte de seus principias clubes e, no embalo, de seus torcedores. O Campeonato Carioca até agora foi um fracasso em público e terá no próximo domingo a final da Taça Guanabara com Flamengo e Boavista se enfrentando na decisão. Estádios acanhados, equipes “alternativas” e um regulamento esdrúxulo ajudam a tornar a competição pouco atrativa, ao menos em suas fases iniciais.

+ Com gol de Dourado na estreia, Flamengo vence Botafogo e vai à final

+ Felipe Conceição é demitido do Botafogo após eliminação para o Flamengo

No primeiro turno do Carioca, nem somando o total de pagantes de todos os jogos de Flamengo e Botafogo – que fizeram uma das semifinais da Taça Guanabara no sábado para apenas 5.460 pagantes – se lotaria o Maracanã. Nos onze jogos, 72.472 pessoas pagaram por ingresso, e isso que a soma ainda inclui os clássicos Flamengo x Vasco e Fluminense x Botafogo. O Carioca é tão peculiar que teve até jogo do Flamengo em Brasília.

Curiosamente, o jogo na capital federal diante do Nova Iguaçu foi o único do time rubro-negro a dar lucro ao clube. Nas outras cinco, o total arrecadado em bilheteria não pagou as contas. Em dois jogos na Ilha do Urubu, o Flamengo levou apenas 7.109 pagantes. A renda bruta total não chegou a R$ 200 mil nessas duas partidas.

O pouco interesse do público passou muito pelo fato de praticamente toda a primeira fase ter sido jogada pelo time rubro-negro com uma equipe alternativa, recheada de reservas. Os principais jogadores foram sendo lançados pelo técnico Paulo César Carpegiani aos poucos. O foco do Flamengo, ninguém nega, é a Libertadores da América.

Estádios são outro problema. Principal praça esportiva do País, o Maracanã sediou somente duas partidas do Campeonato Carioca – os dois clássicos – e deu prejuízo. No momento, está fechado para a troca de gramado e para shows. Só voltará a receber partidas daqui a um mês.

REGULAMENTO É OUTRO PROBLEMA

Apesar de ficarem de fora das semifinais do primeiro turno, Fluminense e Vasco não devem ter muito prejuízo para o restante do Campeonato Carioca. Isso porque o regulamento da competição é tão esdrúxulo que não garante nem mesmo o título para o time que porventura vencer os dois turnos da competição.

O Estadual prevê que o vencedor da Taça Guanabara apenas assegura uma das quatro vagas na semifinal “geral”, que acontece depois que for decidida a Taça Rio (o segundo turno, que assim como a Taça Guanabara também terá uma semifinal e final).

Se vencer os dois turnos, esse time passa direto à final. O outro finalista será conhecido após as semifinais disputadas pelas quatro equipes que tiverem somado mais pontos ao longo de toda a competição.

No próximo domingo, Boavista e Flamengo decidem o título da Taça Guanabara. A partida ainda não teve o local confirmado, mas deverá ocorrer no Engenhão.

Para a decisão, nenhuma das duas equipes terá vantagem para ser campeã. Se a partida terminar empatada, o vencedor será conhecido por meio da disputa de pênaltis. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.