1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Candidato à vaga de Neymar, Willian diz ter outro estilo

LEANDRO SILVEIRA - Agência Estado

06 Julho 2014 | 14h 13

Candidato a substituir Neymar, lesionado, no duelo desta terça-feira com a Alemanha, na próxima terça-feira, no Mineirão, pelas semifinais da Copa do Mundo, o meia Willian declarou neste sábado, como não poderia deixar de ser, que tem condições de assumir a vaga do atacante do Barcelona. Ele destacou, porém, que seu estilo de jogo é diferente, além de apontar o companheiro como incomparável. Mesmo assim, exibiu tranquilidade caso surja a chance de disputar o seu primeiro jogo como titular pela seleção.

"Claro que não tem como comparar o Neymar com os outros. Ele tem muita qualidade. Tenho estilo diferente, com coisas parecidas, a velocidade, o drible. Ele é atacante, eu sou mais meia. Ele faz muitos gols, eu sou mais de servir os companheiros. Mas tenho minhas qualidades e estarei pronto se o Felipão optar por mim", disse Willian, em entrevista coletiva neste domingo na Granja Comary, em Teresópolis (RJ).

Se for escalado por Felipão contra a Alemanha, Willian jogará ao lado de Oscar, seu companheiro no Chelsea. E o meia espera que o entrosamento de ambos ajude a seleção. "Disputamos juntos muitos jogos. Eu mais pelo direito, com o Oscar pelo meio. Mas podíamos movimentar, cair pelo meio, pela lateral, junto com o Hazard. Nos conhecemos bastante, sabemos da qualidade de cada um. Não seria problema para nós", afirmou.

Willian admitiu que o grupo ficou abatido com a perda de Neymar, que desfalcará o Brasil na reta final da Copa após fraturar uma vértebra durante o jogo com a Colômbia, na última sexta-feira. Mas ele destacou que os jogadores precisam usar a adversidade para se fortalecerem para o duelo com a Alemanha.

"O Neymar é a referencia da seleção, chama a responsabilidade e decide jogos. Aconteceu esse fato, todos aqui estão preparados para qualquer coisa. Temos jogadores que podem entrar e fazer a diferença. Nós ficamos tristes, mas temos que ser fortes para continuar", disse.

Copa 2014