Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians
Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Carille ironiza gremista, e diz que times de Porto Alegre gostam de ‘guerra boa'

Técnico do Corinthians acredita que Heber não se sentirá pressionado após ser ofendido por presidente do Grêmio

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

17 Outubro 2017 | 19h01

A polêmica declaração do presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior, agitou o Corinthians nesta terça-feira. O técnico Fábio Carille ironizou a crítica do gremista ao árbitro Heber Roberto Lopes e disse que está acostumado a ver uma ‘guerra boa’ contra times de Porto Alegre.

+ Presidente do Corinthians vê 'relaxamento natural' e aponta falta de concentração

“Vira uma guerra boa. Isso acontece quando a gente joga contra equipes de Porto Alegre. Quando tem jogo com Inter ocorrem essas coisas também. A gente tem que se concentrar no nosso time apenas”, disse o treinador corintiano.

Carille ainda acredita que o árbitro não entrará mais pressionado após ser xingado pelo dirigente gremista. “Não influencia em nada, ainda mais se falando do Héber, que é um árbitro experiente. Foi um pouco pesado, por mais que você tenha algo contra alguém, não pode chegar a esse ponto, mas vamos nos preocupar com a gente. Sobre ele ser caseiro, tivemos dois jogos em casa que a gente perdeu com ele apitando”, minimizou.

O presidente do Grêmio, em entrevista à ESPN, fez duras críticas a arbitragem da partida desta quarta-feira. “Podemos até ganhar este jogo, mas já arrumaram um jeitinho: botaram o Hélber, esse careca vagabundo paranaense”, disse Bolzan, que ainda chamou Heber de caseiro.

O elenco corintiano realizou o último treino antes da partida nesta terça-feira, no CT Joaquim Grava. Os titulares fizeram uma rápida atividade no gramado e Carille avisou que vai decidir a formação depois de uma conversa com os jogadores, que ocorrerá ainda nesta terça-feira.

O volante Gabriel volta, após cumprir dois jogos de suspensão. O zagueiro Pablo continua fora, com uma contratura na coxa esquerda, e em seu lugar, Pedro Henrique será mantido. Sem dar muitas pistas, o treinador disse que poderá fazer alterações na equipe. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.