Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Carille testa Clayson e Marquinhos Gabriel no time e diz: 'Podemos ter mudanças'

Campanha ruim no segundo turno do Brasileirão faz o treinador cogitar trocas no time titular do Corinthians

Estadão Conteúdo

21 Outubro 2017 | 14h26

Em meio às más atuações recentes, o técnico Fábio Carille testou mudanças na escalação do Corinthians neste sábado. Ele comandou treino no CT Joaquim Grava e encerrou a preparação da equipe para encarar o Botafogo na segunda-feira, no Engenhão, pela 30.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

+ Tabela do Campeonato Brasileiro

+ Em baixa no segundo turno, Corinthians faz as contas para o título

 

Carille iniciou a atividade repetindo a equipe que empatou com o Grêmio na última quarta, com: Cássio; Fagner, Balbuena, Pedro Henrique e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon, Rodriguinho, Jadson e Romero: Jô. No decorrer do trabalho, porém, ele tirou Gabriel e Romero para as entradas de Marquinhos Gabriel e Clayson.

Carille se apressou em descartar esta segunda formação para o duelo de segunda, mas admitiu que pode promover mudanças no time. "Podemos ter mudanças, mas não como ficou o segundo tempo (do treino). Ali, foi mais para durante o jogo. Iniciar daquela forma, não. Mas também não garanto que vou começar o jogo contra o Botafogo como foi contra o Grêmio."

+ Convocação de Cássio deve promover estreia de Walter no Corinthians em 2017

O zagueiro Pablo, ainda se recuperando de lesão, não treinou com os companheiros e deverá seguir afastado. Carille não confirmou o desfalque do jogador, mas admitiu que sua presença em campo é improvável. O treinador ainda ressaltou a importância desta partida e evitou fazer projeções para o título.

"Está assim desde o começo do ano, foi uma ideia do grupo falar de jogo a jogo ao invés de estipular metas a cada três partidas. Falei na última coletiva que esperava estar embolado entre os primeiros, mas estamos bem à frente. Isso nos dá tranquilidade, mas temos que pensar jogo a jogo", disse.

Por isso, Carille evitou falar da partida da 32.ª rodada, o clássico com o Palmeiras, também concorrente ao título, no Itaquerão, dia 5 de novembro. "Vou falar sempre do próximo jogo, não gosto de ficar pensando lá na frente se tenho o Botafogo segunda-feira. O Palmeiras vai pegar jogos difíceis. Mas são os três (Grêmio, Palmeiras e Santos) brigando com o Corinthians pelo título."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.