Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

'Cascudo', Santos esquece decepções e se vê no seu melhor momento em 2017

Dorival Jr acredita que equipe está com a confiança resgatada

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

26 Maio 2017 | 16h30

Questionado nos primeiros meses da temporada por seguidas derrotas em clássicos estaduais e pela eliminação precoce, nas quartas de final do Campeonato Paulista, o Santos acredita ter se tornado mais "cascudo" nas últimas semanas e estar vivendo o seu melhor momento no ano. Essa é a avaliação do técnico Dorival Júnior e de peças importantes do elenco, como o centroavante Ricardo Oliveira.

"Acreditamos que sim, pelos resultados que estamos conseguindo fora de casa. Nos cobrávamos muito porque perdíamos muitos jogos fora. Hoje não só estamos fazendo bons jogos, como estamos vencendo, como foi em Belém, contra o Paysandu. Fizemos jogos difíceis na Libertadores, na altitude, com um a menos e empatamos. Atingimos uma maturidade, conseguimos entender como é para jogar fora de casa", afirmou o camisa 9 santista em entrevista coletiva no CT Rei Pelé, nesta sexta-feira.

Os resultados obtidos pelo Santos na Libertadores dão confiança aos santistas de que a equipe se tornou difícil de ser batida. Afinal, o time foi o único brasileiro a fechar a fase de grupos sem sequer uma derrota, com triunfos nos três duelos como mandante e empates nos três confrontos que fez como visitante.

Na avaliação de Dorival, o Santos conseguiu adaptar o seu estilo de jogo às exigências da Libertadores, deixando para trás a oscilação do começo do ano, quando o time perdeu os seus três clássicos no Paulistão, incluindo dois na Vila Belmiro, onde sempre teve aura de equipe difícil de ser batida.

"O Santos chega com uma confiança quase que resgatada completamente em razão do nosso início complicado em razão de vários fatores. Equipe se recuperou, aprendeu a sofrer, guerreando muito. Isso foi um acréscimo que tivemos", destacou o treinador santista.

Por isso, nem o fato de o Santos ter avançado para as oitavas de final da Libertadores com campanhas piores do que as de outros três clubes brasileiros, casos de Atlético Mineiro, Grêmio e Palmeiras, preocupa Ricardo Oliveira, que exaltou a competitividade da sua equipe. "Não perdemos dentro da competição, é algo que precisamos valorizar. Jogamos contra times difíceis fora de casa e vencemos em casa. É uma campanha muito boa, que nos deixa satisfeito. Estamos felizes", afirmou.

As oitavas de final da Libertadores, porém, começarão a ser disputadas apenas em julho. Por isso, o foco do time se volta agora para a sequência do Campeonato Brasileiro. Neste domingo, o Santos recebe o Cruzeiro, na Vila Belmiro, pela terceira rodada, e Ricardo Oliveira destaca a importância de o time obter o segundo triunfo consecutivo no torneio nacional e também confirmar a força como mandante.

"É um campeonato difícil. Conseguimos vencer na segunda rodada, vamos para um jogo complicado, contra grande equipe. Não podemos abrir mão dos pontos no nosso campo, mesmo contra um adversário que nos exige muito. É uma grande oportunidade para avançar na competição", disse o centroavante santista, esperando que o time inicie uma arrancada no Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.