Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Chapecoense vai apresentar recurso semana que vem para continuar na Libertadores

Após ter efeito suspensivo negado, clube aguarda documentação da Conmebol para tentar nova investida

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

30 Maio 2017 | 20h47

O departamento jurídico da Chapecoense espera um posicionamento da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) para apresentar na próxima semana o recurso contra a punição causadora da eliminação do time na Copa Libertadores. A diretoria tentou o efeito suspensivo, mas como o pedido foi negado, a espera é para que a entidade apresente as razões que embasaram a decisão.

"O efeito suspensivo foi negado. Mas não nos apresentaram justificativas. Sem isso não temos como fazer corretamente o recurso. É preciso saber qual foi a fundamentação deles", explicou o diretor jurídico da Chapecoense, Luiz Antônio Palaoro. De acordo com ele, a partir do recebimento das informações, o clube terá uma semana de prazo para recorrer.

A expectativa é para que no máximo até a próxima segunda-feira a Chapecoense consiga enviar a contestação. "Vamos esperar as razões dessa decisão, para depois apresentarmos o recurso. Se entregarem até amanhã (quarta), creio que na sexta ou na segunda-feira já podemos acionar novamente a Conmebol", disse Palaoro. Apesar da espera, o dirigente disse confiar que o posicionamento virá em breve.

A Chapecoense tenta nos tribunais recuperar os três pontos perdidos na vitória por 2 a 1 sobre o Lanús, em Buenos Aires, pela Copa Libertadores. A Conmebol declarou a equipe argentina vencedora por 3 a 0 por considerou que o time catarinense escalou irregularmente o zagueiro Luiz Otávio. Para a entidade, o defensor teria de cumprir três jogos de suspensão por ter sido expulso na rodada anterior, contra o Nacional, do Uruguai.

O time catarinense alega não ter recebido o por e-mail o aviso de que Luiz Otávio estava suspenso. Já a Conmebol, garante ter enviado a mensagem para os endereços eletrônicos do clube. Em entrevista ao canal SporTV na última segunda-feira o técnico da equipe, Vágner Mancini, contou que a entidade mandou o aviso para o destinário errado dentro do clube.

A pressa da Chapecoense é para o caso ser definido até o dia 14 de junho, data de sorteio dos confrontos das oitavas de final da competição. Se fossem considerados apenas com os resultados dentro de campo, a equipe estaria classificada para a próxima fase junto com o Lanus e o Nacional estaria eliminado. Para se defender no caso a Chapecoense contratou o advogado Mário Bittencourt, responsável pela defesa que garantiu a manutenção do Fluminense no Brasileiro da Série A ao fim de 2013.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.