Andy Rain/EFE
Andy Rain/EFE

Chelsea e Arsenal triunfam e mantêm perseguição aos líderes do Inglês

Equipes de Londres continuam na parte de cima da tabela com vitórias sobre Swansea e Huddersfield, respectivamente

Estadão Conteúdo

29 Novembro 2017 | 19h46

Os rivais Chelsea e Arsenal fizeram sua parte nesta quarta-feira e se mantiveram nas primeiras colocações do Campeonato Inglês. O Chelsea recebeu o desesperado Swansea, sofreu, mas venceu por 1 a 0. Já o Arsenal teve mais facilidade e goleou o Huddersfield Town por 5 a 0, também em Londres.

+ Barcelona goleia e vai às oitavas da Copa do Rei; Ganso marca e Sevilla avança

+ Zidane agradece Zé Roberto e exalta '23 anos de amor' do brasileiro pelo futebol

Os resultados mantiveram as posições de ambos. O Chelsea é o terceiro colocado com 29 pontos, um à frente do Arsenal, que fecha a zona de classificação à Liga dos Campeões, em quarto. O Swansea é o vice-lanterna, com nove pontos, enquanto o Huddersfield é o 14.º, com 15.

No Stamford Bridge, o Chelsea tomou o campo de ataque e encurralou o Swansea desde os primeiros minutos. As primeiras chances, porém, surgiram apenas em finalizações de longe. Aos nove, Willian cobrou falta com perigo. Seis minutos depois, a defesa adversária saiu jogando mal, Zappacosta aproveitou e exigiu boa defesa de Fabianski.

Esta seria a tônica do primeiro tempo. O Chelsea tinha toda a posse de bola, era dono do campo de ataque, mas sofria com a retranca adversária e pouco criava. Pedro, em duas oportunidades, arriscou e exigiu trabalho de Fabianski. Morata foi outro que obrigou o adversário a trabalhar.

Nos últimos minutos, Willian chamou a responsabilidade e criou bom momento para Pedro, que desviou para fora. A dupla voltou a funcionar no início da etapa final. O brasileiro cortou três marcadores e encontrou o espanhol, que recebeu sozinho e isolou.

Sem grande criatividade, o Chelsea chegaria ao gol em lance fortuito. Após cobrança de escanteio curta, Kanté encheu o pé de fora da área. A bola tocou em Bony e sobrou para Rüdiger desviar para a rede, aos nove minutos.

Imediatamente, o gol tranquilizou os londrinos, que passaram a criar mais chances. Mas Morata e Pedro não estavam com a pontaria apurada. Aos 19, o centroavante perdeu sua melhor oportunidade ao ganhar do zagueiro, invadir a área e tocar por cima. A partir daí, o Chelsea passou a administrar o resultado, sem grandes sustos.

Também em casa, o Arsenal teve bem menos dificuldade para atropelar o Huddersfield Town, e abriu o placar logo com dois minutos, em bela jogada. Ramsey recebeu na intermediária e, de primeira, tocou de calcanhar para Lacazette, que invadiu a área e finalizou de canhota na saída do goleiro.

O gol mudou o comportamento do Huddersfield, que foi obrigado a sair da defesa, e tranquilizou até demais o Arsenal, que diminuiu o ritmo e pouco criou pelo restante da primeira etapa.

Somente na volta do intervalo, o panorama mudou e o Arsenal foi preciso para disparar para a goleada em um espaço de quatro minutos. Aos 22, o ataque anfitrião fez bela tabela pela esquerda e Özil encontrou Giroud sozinho no meio da área para marcar.

Atordoado, o Huddersfield não conseguiu responder, e o Arsenal aproveitou. Dois minutos depois, Özil recebeu pela direita e cruzou para Alexis Sánchez marcar. Depois de ser garçom duas vezes, o alemão deixou sua marca aos 26, quando recebeu ótima enfiada de Ramsey e tocou na saída do goleiro. Ainda houve tempo para Giroud, já aos 41, selar a goleada.

Em outro jogo já encerrado do Inglês, o Burnley visitou o Bournemouth e venceu por 2 a 1, com gols de Chris Wood e Robert Brady. Joshua King descontou. O resultado fez a equipe ultrapassar o Tottenham e assumir a sexta colocação, com 26 pontos. Já o Bournemouth é o 15.º, com 14 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.