Elvis Gonzalez/EFE
Elvis Gonzalez/EFE

Chile vence em casa, sobe para 3º e tira Equador da briga por vaga na Copa

Vitória por 2 a 1 faz chilenos chegarem a 26 pontos, mesmos da Colômbia e a dois do Uruguai, segundo

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

05 Outubro 2017 | 22h42

Apesar do susto nos minutos finais, o Chile derrotou o Equador por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, subiu na tabela das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018 e ainda eliminou o rival da disputa. Alexis Sánchez garantiu o triunfo ao marcar aos 40 minutos do segundo tempo, apenas um minuto depois de o Chile sofrer o empate dos visitantes, em Santiago.

+ TEMPO REAL - Confira a narração da partida

+ Argentina empata com o Peru em casa e se complica

+ Brasil para em goleiro e fica no empate com a Bolívia

O triunfo levou o Chile aos 26 pontos, subindo para o terceiro lugar da tabela, atrás apenas do líder Brasil (38) e do Uruguai (28). Por outro lado, o Equador estacionou nos 20 pontos, na oitava colocação, e não tem mais como sonhar com uma vaga no Mundial da Rússia, na rodada final das Eliminatórias, na terça. Seu adversário será a Argentina, que ainda busca a vaga.

Vindo de duas duras derrotas nas Eliminatórias - para Paraguai e Bolívia -, o Chile aproveitou o apoio da torcida para tomar conta do primeiro tempo, em Santiago. Diante de um apático Equador, com Arroyo (do Grêmio) e Orejuela (Fluminense) entre os titulares, o time da casa foi para cima e praticamente não deu chances aos visitantes na etapa inicial.

O domínio, contudo, demorou para virar perigo na defesa equatoriana. A primeira chegada ao ataque aconteceu aos 13, em duas investidas de Vidal, que parou na zaga. O gol veio na primeira investida realmente perigosa. Aos 21, Alexis Sánchez tentou pela esquerda. Foi desarmado, mas a bola sobrou para Valdivia, que foi até a linha de fundo e cruzou para trás para Vargas encher o pé e estufar as redes.

O Equador só conseguiu ameaçar o gol de Bravo uma vez na etapa inicial. Foi aos 26, quando Arroyo cobrou falta direto no gol e o goleiro chileno fez a defesa em dois tempos. Daí até o apito final do primeiro tempo, só o Chile ameaçou. Na melhor oportunidade, aos 40, Mena desperdiçou o chute após passe de Valdivia.

O segundo tempo teve menos emoção no ataque chileno nos primeiros minutos. Afora uma tentativa de cabeça de Valdivia no começo, o time da casa encontrou mais dificuldade para superar a retranca equatoriana. As poucas investidas, quando surgiam, eram pela esquerda, em lances individuais de Sánchez.

A partir dos 30 minutos, as duas seleções inverteram os papéis. Desesperada, a seleção equatoriana partiu para o ataque, enquanto o Chile recuou e passou a jogar no contra-ataque. Mais presente na defesa anfitriã, o Equador buscou o empate aos 39, quando Ordoñez cruzou da direita e Ibarra, que havia acabado de entrar em campo, só completou para as redes.

Mas o Chile manteve a postura de ameaçar nos contra-ataques e, assim, marcou o gol da vitória. Apenas um minuto depois do empate, Murillo vacilou duas vezes perto da área, com um escorregão e uma perda de bola, Vidal fez a roubada e acionou Felipe Gutiérrez, que bateu forte. Banguera defendeu, mas deu rebote. E Sánchez bateu para as redes, sacramentando a vitória.

Ainda em busca da vaga, o Chile fará sua última partida nas Eliminatórias contra o Brasil, na terça-feira, no Allianz Parque. Para o jogo no estádio do Palmeiras, em São Paulo, o técnico Juan Antonio Pizzi não terá Vidal, que levou cartão amarelo nesta quinta e cumprirá suspensão.

Este cartão poderá ser decisivo na carreira do volante porque ele prometera se aposentar da seleção ao fim da Copa da Rússia, ou antes, se o Chile não entrar no Mundial. Assim, se a equipe chilena não carimbar o passaporte, o jogo contra o Equador terá sido o último de Vidal com a camisa de sua seleção.

FICHA TÉCNICA:

CHILE 2 x 1 EQUADOR

CHILE - Claudio Bravo; Isla, Medel, Gonzalo Jara, Mena; Francisco Silva (Pulgar), Vidal, Pablo Hernández, Valdivia (Felipe Gutiérrez); Eduardo Vargas (Martín Rodríguez) e Alexis Sánchez. Técnico: Juan Antonio Pizzi.

EQUADOR - Banguera; Antonio Valencia, Aimar, Arboleda, Cristian Ramírez (Ibarra); Orejuela, Intriago (Jacob Murillo), Ibarra, Arroyo; Preciado (Garcés) e Roberto Ordoñez. Técnico: Jorge Célico.

GOLS - Vargas, aos 21 minutos do primeiro tempo. Ibarra, aos 39, e Sánchez, aos 40 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Valdivia, Francisco Silva, Vidal, Antonio Valencia, Ibarra.

ÁRBITRO - Sandro Meira Ricci (Brasil).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Monumental, em Santiago (Chile).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.