Chuva de problemas no São Caetano

Quando assumiu a direção do São Caetano, no início da semana, o técnico Mário Sérgio estava certo de que acabara de pegar um time montado e pronto para a disputa do Campeonato Brasileiro. Mas bastaram alguns dias para ele acumular problemas e ficar com a responsabilidade de administrar o novo desmanche do time antes da estréia contra o Paraná, sábado, em Curitiba. Quatro titulares foram embora do clube. Marcos Senna bateu o pé e foi liberado pela diretoria para se transferir ao Villareal, da Espanha. Ele tinha contrato com o Azulão até dezembro. O lateral Rubens Cardoso e o meia Robert foram devolvidos ao Santos, enquanto o lateral direito Russo, cujo contrato venceu dia 31 de julho, não vai mesmo renovar. Linha dura - Além disso, Mário Sérgio primou pela disciplina para marcar seu início de trabalho. O goleiro Sílvio Luiz e o meia Ailton não se apresentaram com o grupo na terça-feira e foram, de imediato, vetados para a estréia no Brasileirão. Silvio Luiz voltou aos treinos nesta quinta-feira, enquanto Ailton pediu à diretoria mais alguns dias para descanso aproveitando o fato de ter recebido oito pontos na perna ainda na final da Copa Libertadores. Ele prometeu se apresentar na segunda-feira. Já o zagueiro Daniel está vetado pelo departamento médico, sentindo uma lesão na perna direita. E Adhemar, a mais nova esperança de gols, está sem condições legais de jogo porque seus documentos ainda nem chegaram na CBF vindos do Stuttgart, seu ex-clube na Alemanha. "Estes problemas são normais no futebol. Vou dar moral para quem eu tenho no grupo", disse Mário Sérgio, tentando minimizar tantos problemas. Acertos - O acúmulo de problemas também causou uma série de dúvidas para a definição do time. Moisés e Marlon são as opções para a lateral direita. Serginho vai atuar na defesa no lugar de Daniel. No ataque, Wagner e Jean Carlos brigam para jogar ao lado de Somália. Na lateral-esquerda, Lúcio, ex-Ituano, deve estrear, enquanto Fábio Santos, ex-Santo André, deve ser um dos volantes. O time está em Mauá desde quarta-feira. Não houve nenhuma atividade nesta manhã e, à tarde, Mário Sérgio comandou um treino técnico-tático. Na sexta-feira cedo haverá um rachão no estádio Anacleto Campanella e, após o almoço, a delegação segue para Curitiba.

Agencia Estado,

08 Agosto 2002 | 16h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.