Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Cícero festeja chegada ao Grêmio e diz não entender saída do São Paulo

Jogador afirmar estar motivado para disputar a semifinal da Copa Libertadores e quer deixar o ex-clube para trás

Estadão Conteúdo

04 Outubro 2017 | 17h58

O meio-campista Cícero celebrou o que classificou como "oportunidade única" para voltar a atuar nesta temporada ao ser apresentado oficialmente como novo jogador do Grêmio, nesta quarta-feira, em Porto Alegre. O jogador, que assinou contrato de três meses com o clube tricolor gaúcho, acredita que será útil na disputa da Copa Libertadores.

+ Werdum revela que entrará com hino do Grêmio na luta do UFC em Las Vegas

"Quando me ligaram, foi uma oportunidade única. Estava muito motivado. A minha carreira fala por mim, os meus 13, 14 anos como profissional. Sempre fui feliz em todos os clubes que passei. Espero que aqui a gente também consiga ser feliz no fim do ano. Quando era pequeno, via essas cores da camisa do Grêmio e sempre falava lá em casa com o meu irmão que era muito bonita, e hoje é um prazer imenso poder vesti-la", declarou o atleta.

Cícero garantiu que está em boas condições físicas, mas reconheceu que precisa de um tempo para recuperar o ritmo de jogo devido ao período em que ficou fora dos gramados pelo afastamento no São Paulo, seu ex-clube.

O atleta - contratado pelo São Paulo a pedido do treinador Rogério Ceni, mas afastado por Dorival Júnior após a demissão do ex-goleiro do comando da equipe - disse desconhecer o motivo de ter sido preterido e demonstrou frustração pelo tratamento que recebeu no Morumbi.

"Uma boa pergunta (motivo da saída). Estou querendo entender até agora o que aconteceu lá dentro. Alguma coisa deve ter acontecido. Mas o São Paulo ficou para trás. Deus sempre sabe o que faz na vida. As coisas vão acontecendo. Também queria entender. Estou procurando uma resposta até agora. Vida que segue", comentou.

O jogador também mostrou entusiasmo pela chance de trabalhar novamente com o treinador Renato Gaúcho. Ambos estiveram juntos no Fluminense em 2008, ano em que o time carioca chegou à final da Copa Libertadores, vencida pela LDU.

"Um prazer imenso poder voltar a trabalhar com o Renato. Quando saí, ficou aquele gostinho de voltar a trabalhar com ele. Em várias outras oportunidades, o Renato conversou comigo, tentou levar. Mas a gente sabia que não era nada fácil, por questões contratuais. Hoje, estou podendo reviver esse momento com ele. Quem sabe uma coisa que a gente deixou lá no passado e que a gente possa sorrir no final disso tudo", exaltou Cícero.

Como já disputou dez partidas pelo São Paulo, Cícero não poderá ser aproveitado pelo treinador gremista no Brasileirão. Mas o meio-campista, de 33 anos, estará à disposição para o próximo compromisso do Grêmio na competição Copa Libertadores, no dia 25 deste mês, contra o Barcelona, em Guayaquil, pelas semifinais da competição.

Mais conteúdo sobre:
Grêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.