Citadini motivou vitória palmeirense

O vice-presidente de futebol do Corinthians, Antonio Roque Citadini, teve papel decisivo na vitória palmeirense sobre o Fluminense, por 3 a 2, neste domingo. De maneira indireta, ele foi um dos responsáveis pela boa atuação do Palmeiras e de um dos principais jogadores do time paulista, o meia Alex. Suas críticas à convocação do meia para a seleção brasileira deixaram o jogador muito irritado e motivado para enfrentar a equipe carioca. "A única coisa que mexeu comigo foi quando esse senhor (Citadini) falou que minha convocação só veio porque sou amigo do Felipão. O Luiz Felipe tem caráter muito grande e é absurdo questionar a integridade dele", desabafou Alex, que teve a melhor atuação do ano. "Queria demonstrar que estou me recuperando e que tenho condições de jogar pela seleção." Entusiasmado, Alex disse que ainda precisa melhorar, mas reconheceu que os dois gols que marcou diante do Fluminense lhe deram um alívio. Ele vinha sendo bastante pressionado pelos torcedores, que tentaram agredi-lo após o jogo contra o ASA de Arapiraca, há dez dias, pela Copa do Brasil. O goleiro Marcos também desabafou após a partida. Afinal, ele foi bastante criticado pela atuação contra o América, na semana passada, e chegou a desentender-se com parte da torcida. Assim que o juiz Hélber Roberto Lopes apitou o fim do jogo, ele pegou a bola e chutou para a arquibancada, como forma de presentear a torcida e selar um acordo de paz. "Consegui a redenção. É nas horas difíceis que vemos quem realmente é nosso amigo e acredita na gente. O Felipão confiou em mim e eu nunca abaixei a cabeça", disse o atleta, também convocado para a seleção brasileira. O técnico Vanderlei Luxemburgo elogiou o desempenho da equipe e disse que vai manter, para as próximas partidas, Daniel improvisado na lateral-esquerda. "Fomos atrás do Gilberto, do Rubens Cardoso, do Athirson, mas não conseguimos contratá-los. O Daniel foi bem e vai continuar jogando", avisou o treinador palmeirense. Os jogadores do Fluminense reconheceram que o Palmeiras foi mais competente e mereceu a vitória. O técnico Oswaldo de Oliveira, ameaçado de perder o cargo, afirmou que sua equipe teve boa atuação e que pretende continuar trabalhando normalmente, apesar da pressão de conselheiros e de torcedores para sua saída.

Agencia Estado,

03 Março 2002 | 19h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.