AFP/Javier Soriano
AFP/Javier Soriano

Com 3 de Cristiano Ronaldo, Real arrasa Atlético de Madrid e fica perto da final

Para avançar, equipe dirigida por Zidane pode até perder por dois gols de diferença

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

02 Maio 2017 | 17h46

Sob a batuta de Cristiano Ronaldo, o Real Madrid arrasou o rival Atlético de Madrid nesta terça-feira e se aproximou da final da Liga dos Campeões. O atual campeão já começou a sonhar com o bicampeonato após fazer 3 a 0 no jogo de ida da semifinal. O atacante português marcou todos os gols da partida disputada no estádio Santiago Bernabéu, na capital espanhola.

Para avançar à final, em busca do seu 12º título, o Real pode até perder por até dois gols de diferença no jogo da volta, na próxima quarta, no estádio Vicente Calderón. Já o Atlético precisará quase de um milagre para superar Cristiano Ronaldo e companhia na próxima semana.

O resultado desta terça marca mais um revés do Atlético diante do rival na Liga dos Campeões. No ano passado, foi superado na final, na disputa de pênaltis. E, na temporada 2013/2014, o time comandado por Diego Simeone sofreu gol no fim no tempo normal e levou a virada na prorrogação.

Nesta terça, o técnico Zidane mandou a campo um ataque do Real com Benzema e Isco ao lado de Cristiano Ronaldo. James Rodríguez nem chegou a entrar em campo. Os brasileiros Marcelo e Casemiro foram titulares. Pelo Atlético, o lateral Filipe Luis também começou jogando.

O JOGO

Ainda no embalo da goleada sobre o Las Palmas, no fim de semana, o Atlético partiu para cima do Real nos primeiros minutos e impôs pressão. Mesmo marcando no campo de ataque, não conseguiu levar maior perigo ao gol de Navas. Do outro lado, o time da casa já havia ameaçado Oblak em lance de Benzema, aos 6.

O esboço de pressão do Atlético acabou durando apenas nove minutos. Foi o tempo que o Real precisou para abrir o placar. Após levantamento na área, a bola sobrou na direita para Casemiro, que bateu cruzado e alto. Cristiano Ronaldo subiu mais que a zaga e cabeceou para as redes.

A partir daí, só o Real jogou no primeiro tempo no Santiago Bernabéu. E criou chances suficiente até para abrir uma goleada. Só não o fez porque Varane, aos 15, cabeceou bonito, mas parou na defesa de Oblak. E porque Benzema, de voleio, mandou para fora aos 28.

A única tentativa de perigo do Atlético na etapa inicial foi protagonizada por Gameiro, aos 16. Ele investiu pelo meio, entrou na área e quase driblou o goleiro. Navas dividiu com ele e os jogadores do Atlético pediram pênalti, sem sucesso.

Para o segundo tempo, Zidane precisou fazer mudança na defesa. Carvajal sentiu dores no fim do primeiro tempo e deu lugar a Nacho Fernández. O brasileiro Danilo joga na mesma posição de Carvajal, mas não foi relacionado para a partida.

Diego Simeone, por sua vez, mudou o setor ofensivo. O atacante Fernando Torres e o meia Gaitán entraram nas vagas de Gameiro e Saúl Ñíguez, respectivamente.

As mudanças equilibraram um pouco as forças em campo. O Atlético ganhava terreno também porque o Real desacelerava e não exibia mais o ímpeto do primeiro tempo. Tanto que só voltou a levar perigo aos 21, em finalização de Benzema.

Porém, mesmo em ritmo mais lento, o Real definiu o jogo aos 27 minutos, novamente com Cristiano Ronaldo. O lateral brasileiro Filipe Luis falhou ao fazer o corte e o atacante português encheu o pé da entrada da área para marcar um belo gol e encaminha a vitória.

E, se não bastasse a boa vantagem no placar, Cristiano Ronaldo voltou à carga aos 40 minutos. Ele sacramentou a vitória ao completar cruzamento, com facilidade, vindo de Lucas Vásquez da linha de fundo. Foi seu 10º gol em 11 partidas do Real nesta edição da Liga dos Campeões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.