1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Com dores, Hulk promete não prejudicar a seleção

LEANDRO SILVEIRA - Agência Estado

15 Junho 2014 | 13h 13

O atacante Hulk vai viajar neste domingo para Fortaleza, onde a seleção brasileira enfrentará o México na terça-feira, em partida válida pela segunda rodada do Grupo A da Copa do Mundo, mas destacou que ele mesmo não sabe se terá condições de entrar em campo. Afinal, o jogador sofre com dores musculares e lembrou que não pode prejudicar a equipe.

Neste domingo, após apenas aproximadamente dez minutos de um coletivo, realizado na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), Hulk deixou a atividade com dores no músculo posterior da coxa esquerda logo após marcar um dos gols da atividade. E ele foi acompanhado pelo fisioterapeuta Luiz Rosan, aumentando a preocupação com a situação.

Hulk explicou que sentiu dores nas duas finalizações que deu no coletivo e que a comissão técnica decidirá, após avaliar a sua evolução, sobre a sua presença no duelo com o México. "Senti nos dois momentos. Sou um jogador que procura ajudar ao máximo. Vou viajar com todos. Quem vai decidir é o Felipão, se entrar vou dar o máximo, dividir todas as bolas e dar o meu melhor", disse.

As dores na coxa esquerda já haviam levado Hulk a deixar um treinamento da seleção às vésperas da estreia na Copa. Mesmo assim, ele participou da vitória por 3 a 1 sobre a Croácia, na última quinta-feira, no Itaquerão, em São Paulo. Após o jogo, Felipão elogiou a dedicação do atacante e revelou que ele não jogou nas suas condições ideais.

Hulk explicou que vem convivendo com o incômodo há alguns dias e isso não o impediu de encarar a seleção croata. O atacante, porém, evitou assegurar a sua presença no duelo com o México. "Senti meu (músculo) posterior esquerdo há alguns dias. Não me impediu de estar no primeiro jogo e espero que não impeça de estar no segundo. Vamos tratar isso para que eu possa jogar", afirmou.

O atacante da seleção admitiu que o desejo de entrar em campo na Copa o faz atuar longe das condições ideais, mas garantiu que não fará isso se existir o risco de prejudicar a seleção. "Na Copa, tem que enfrentar qualquer problema. Você passa a vida trabalhando por esse sonho e não queremos perder nenhum jogo. Lógico que não dá pra fazer loucura e prejudicar a seleção", afirmou.

Hulk admite que temeu pelo risco de ficar fora da sequência da seleção na Copa quando deixou o campo neste domingo. "Saí cabisbaixo, isso é normal. Não queremos sentir dores e quando acontece, a gente sai triste mesmo, pensando no pior. Depois, conversei com profissionais experientes. Dei uma aliviada, fiquei mais tranquilo", explicou o atacante, que não está com uma lesão grave na coxa esquerda, mas tem presença incerta no duelo de terça-feira entre Brasil e México.

Copa 2014