Gustavo Oliveira/LEC
Gustavo Oliveira/LEC

Com escolhas distintas na campanha, Londrina e Atlético-MG decidem Primeira Liga

Sem o reconhecimento da CBF, a competição será concluída mais de seis meses após o seu início

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

04 Outubro 2017 | 07h26

Londrina e Atlético Mineiro se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h45, no estádio do Café, em Londrina (PR), na decisão da Copa da Primeira Liga, após avançarem à grande decisão apostando em estratégias bem diferentes, o que inclui o modo como encararam a competição e até a gestão do futebol nos respectivos clubes.

+ Idas da seleção à La Paz tiveram canja de galinha e mal-estar coletivo​

Uma das novidades da edição de 2017 da Copa da Primeira Liga ao herdar uma das vagas destinadas aos desistentes Coritiba e Atlético Paranaense, o Londrina fez bonito, tanto que teve 100% de aproveitamento na fase de grupos com vitórias sobre Paraná, Figueirense e Avaí, o que foi determinante para lhe garantir o mando na decisão desta quarta-feira.

Foi também no estádio do Café que o Londrina assegurou a passagem para a final, eliminando dois dos clubes mais tradicionais times do futebol brasileiro. A equipe do interior do Paraná bateu o Fluminense (2 a 0), nas quartas de final, e passou nos pênaltis sobre o Cruzeiro após empate (2 a 2), nas semifinais.

Agora, portanto, o Londrina tentará confirmar a sua força como mandante no decisivo confronto contra o Atlético Mineiro. Para isso, o time do interior do Paraná espera contar com o estádio do Café lotado em confronto considerado histórico para um clube que já venceu quatro vezes o Campeonato Paranaense e uma Série B do Campeonato Brasileiro, em 1980.

"Estamos bem focados nessa final porque sabemos que é um jogo importante para nós. Se conseguirmos ser os campeões, vamos ficar na história do clube. Vamos respeitar muito o time do Atlético, mas vamos respeitar jogando", afirmou o lateral-esquerdo Ayrton.

Fazendo uma campanha irregular na Série B, o Londrina tem chances remotas de acesso, o que aumenta o peso do confronto desta quarta-feira contra o Atlético Mineiro. E o time entrará em campo embalado após golear o CRB por 4 a 1, na última sexta, o que devolveu a confiança ao time após tropeçar nas três rodadas anteriores.

Mesmo atuando em casa, o Londrina vai apostar na forte marcação, atuando com três volantes diante do Atlético Mineiro. Mas não poderá contar com o seu capitão, o experiente volante Germano, que está suspenso. O seu substituto já foi definido pelo técnico Claudio Tencati e será Romulo.

Claudio Tencati é o técnico mais longevo entre os clubes brasileiros, estando à frente do Londrina desde 2011. Foi ele quem conduziu o time ao título paranaense em 2014 e agora tenta repetir o feito na decisão da Copa da Primeira Liga, definida por ele como "momento único".

Do outro lado do campo, Claudio Tencati verá um adversário que já está em seu terceiro técnico na temporada e na própria Copa da Primeira Liga. O time começou 2017 sob o comando de Roger Machado, passou por Rogério Micale e agora é treinado por Oswaldo de Oliveira, que vai dirigir o time apenas pela segunda vez nesta quarta-feira.

Essas trocas refletem as decepções do time nesta temporada, com eliminações na Copa Libertadores e na Copa do Brasil, além de uma campanha irregular no Brasileirão, mas também a pressa e a alta exigência da diretoria por grandes conquistas.

Ainda assim, a eventual conquista da Copa da Primeira Liga renderia ao Atlético Mineiro o seu segundo título na temporada, pois o time também foi campeão estadual em 2017 e ajudaria Oswaldo de Oliveira a tentar confirmar a recuperação da moral do elenco, iniciada com o triunfo por 2 a 0 sobre o Atlético Paranaense no último fim de semana, pelo Brasileirão, na sua estreia à frente do time.

Até agora, porém, a Copa da Primeira Liga não era uma prioridade no clube, tanto que os titulares foram poupados em alguns confrontos do time, que somou apenas quatro pontos na fase de grupos, depois passando por Internacional e Paraná.

Mas nesta quarta-feira será. "Vamos disputar um título. Precisamos ter essa consciência", destacou Oswaldo de Oliveira, que manterá a sua aposta nas estrelas do elenco como Robinho, que vinha sendo reserva e marcou dois gols no fim de semana. Ele seguirá na formação titular para o duelo com o Londrina. Luan, que foi poupado no fim de semana, voltará a ficar à disposição do treinador, mas será uma opção no banco de reservas, enquanto que Otero é desfalque por ter sido convocado para a seleção venezuelana, assim como Marco Rocha segue lesionado.

Repetindo o caso do Londrina, o Atlético Mineiro não terá o seu capitão na final desta quarta-feira, pois Leonardo Silva se lesionou. Bremer deve ficar com a sua vaga para formar dupla de zaga com Gabriel, enquanto que o goleiro Victor será o escolhido para utilizar a braçadeira de capitão e levantar a taça em caso de conquista da segunda edição da Copa da Primeira Liga.

Sem o reconhecimento da CBF, a competição será concluída mais de seis meses após o seu início, no fim de janeiro, tendo encontrado problemas para definir o seu calendário e não sendo encarada pela maioria dos participantes como uma prioridade. Nesta quarta-feira, porém, Londrina e Atlético Mineiro deixam esses problemas em segundo plano para definirem o segundo campeão do torneio que foi vencido pelo Fluminense no ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.