1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Com gol no fim, Palmeiras sofre para empatar com São Bento

- Atualizado: 05 Fevereiro 2016 | 00h 53

Leandro Almeida falha no 2 a 2 e sai vaiado do Pacaembu

Após um início de jogo quase perfeito, o Palmeiras sofreu e com um gol nos últimos minutos evitou a derrota e ficou no empate por 2 a 2 com o  São Bento, no Pacaembu, em noite que Leandro Almeida foi o vilão e Vitor Hugo o salvador. 

Pelos primeiros 20 minutos de jogo, ninguém esperava um vitória do Palmeiras por menos de dois gols. O time alviverde voava em campo, com toques rápidos, boa movimentação e organização tática que parecia de um time que estava jogando junto há anos. 

Dudu se movimentava na frente da área, sem posição definida e abria espaço para Barrios e Gabriel Jesus entrarem na área e Robinho chegar com liberdade. Em uma dessas jogadas, aos 5 minutos, saiu o gol.

Depois de 12 jogos, Gabriel Jesus volta a marcar pelo Palmeiras
Depois de 12 jogos, Gabriel Jesus volta a marcar pelo Palmeiras

Robinho fez ótimo passe para Gabriel Jesus, que ajeitou de perna esquerda e encheu o pé de direita. Com Thiago Santos não perdendo uma bola no meio, nada parecia que daria errado para o Palmeiras. Até que o São Bento percebeu que era só apertar um pouco que a defesa iria entregar o jogo.

Egídio perdeu uma bola no campo de defesa, ouviu as primeiras vaias e se perdeu. Para piorar, do outro lado, Leandro Almeida, também estava em uma noite infeliz, como aconteceu tantas vezes em 2015. 

Palmeiras em 2016
JF Diório/Estadão
Palmeiras 2x0 América-MG

Gabriel Jesus comemora o primeiro dos seus dois gols diante do América-MG

E foi por ali que o São Bento cresceu. Aos 33, após cobrança de escanteio da direita, a bola passou por todo mundo e sobrou para Éder, que na esquerda e sozinho, encheu o pé e empatou. O Palmeiras sentiu o gol. O time voltou a dar os antigos chutões e virou uma correria desenfreada, sem organização. 

Até que aos 40, a bola estava dominada por Leandro Almeida, Morais o apertou, desarmou e mandou a bola por baixo das pernas do palmeirense. Quando Prass chegou para tentar desarmar, o meia bateu com categoria e fez um lindo gol. 

No segundo tempo, o Palmeiras voltou mais afoito, partiu para o ataque de qualquer jeito e parou nas mãos de Henal, que fez pelo menos duas grandes defesas. A torcida já estava indo embora, quando Vitor Hugo aproveitou cobrança de escanteio de Lucas e desviou de cabeça para amenizar o prejuízo e conseguir um empate em noite que o Palmeiras poderia ter vencido de goleada. 

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Leandro Almeida, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos, Jean (Régis), Dudu, Gabriel Jesus (Erik) e Robinho; Lucas Barrios (Alecsandro)

Técnico: Marcelo Oliveira

SÃO BENTO: Henal; Régis (Bebeto), Pitty, João Paulo e Marcelo Cordeiro; Fábio Bahia, Éder, Morais e Clebson (Serginho Catarinense); Rossi e Rodriguinho (Fernandinho)

Técnico: Paulo Roberto Santos

GOLS: Gabriel Jesus, aos 5, Éder, aos 33, e Morais, aos 40 do 1º Tempo; Vitor Hugo, aos 46 do 2ºTempo

CARTÕES AMARELOS: Éder, Leandro Almeida, Rodriguinho, Fernandinho

CARTÕES VERMELHOS:

PÚBLICO: 17.663 pagantes

RENDA: R$ 496.340,00

JUIZ: Flávio Rodrigues de Souza

LOCAL: Pacaembu, em São Paulo

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX