Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Com lesões no setor e irregularidade de Gabriel, ataque vira problema no Santos

Copete e Arthur Gomes devem ser titulares na próxima partida do Brasileirão, diante do Grêmio

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

03 Maio 2018 | 11h06

O ataque deve ser a dor de cabeça de Jair Ventura no Santos para o duelo de domingo com o Grêmio, em Porto Alegre, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Nesse momento, o treinador convive com lesões no setor, além da má fase técnica de Gabriel, considerada a principal referência do elenco na posição.

+ Árbitro corrige erro, expulsa Léo Cittadini no vestiário e desfalca Santos

Santos vê 'mancha na carreira' de uruguaio que bateu de propósito em Rodrygo

Com pouco tempo de preparação para o compromisso após a derrota para o uruguaio Nacional por 1 a 0, na terça-feira, pela Copa Libertadores, o Santos pode ter até três desfalques por contusão no ataque. Eduardo Sasha e Bruno Henrique já estavam entregues ao departamento médico, enquanto Rodrygo retornou de Montevidéu lesionado, ainda que não se saiba a gravidade do problema.

Eduardo Sasha sofreu um entorse no tornozelo direito no duelo com o Bahia, em 21 de abril, o que o deixou de fora dos dois compromissos seguintes do Santos, ambos pela Libertadores, contra Estudiantes e Nacional. E ainda não é certo se ele poderá voltar ao time contra o Grêmio. A situação do jogador é tratada com cuidado, pois ele passou por três cirurgias em um curto período no local quando estava no Internacional.

Além de Sasha, quem também se contundiu no duelo com o Bahia foi Bruno Henrique. O atacante não atuava pelo Santos desde a rodada inicial do Campeonato Paulista, quando lesionou o olho direito ao levar uma bolada acidental nos primeiros minutos do confronto com o Linense. E logo no seu retorno, o jogador sofreu uma lesão muscular, o que voltou a torná-lo um desfalque no Santos.

Já Rodrygo se transformou no mais novo problema para Jair por causa de um entorse no tornozelo esquerdo. O atacante se contundiu ao receber entrada dura de Fucile durante o jogo com o Nacional. Após o compromisso, o próprio lateral uruguaio admitiu que apelou intencionalmente para violência contra o atacante, após levar o terceiro drible por entre as pernas, situação que revoltou o Santos.

"Uma pena a técnica ser parada com violência. As equipes da Libertadores marcam mais forte e acabam parando os jogadores com violência. Vamos torcer para que não seja nada grave. A competição já é difícil e se perdemos jogadores por violência, isso prejudica muito", disse Jair, em entrevista coletiva após o jogo em Montevidéu.

Para piorar a situação do ataque santista, Gabriel não vem se destacando como se imaginava quando a sua contratação por empréstimo foi fechada. O atacante até marcou quatro gols nos seus quatro primeiros jogos nesse retorno ao time, mas fez apenas um nas últimas dez vezes em que atuou. Ele, porém, não tem sua titularidade ameaçada, tanto que Jair sempre defende o jogador quando questionado.

"Não foi só o Gabriel. Foi a equipe toda e eu faço parte disso. O responsável não é o Gabriel. Enquanto eu estiver no Santos, vamos ganhar e vamos perder juntos. Não tem o grande vilão e nem um responsável", comentou o treinador após o confronto com o Nacional.

Com Gabriel assegurado no ataque santista contra o Grêmio, a tendência é que Copete seja mantido no setor e Arthur Gomes receba nova oportunidade em Porto Alegre. E Yuri Alberto será uma das opções para alterar o ataque na busca santista pela vitória como visitante no Brasileirão.

Mais conteúdo sobre:
futebol Santos Futebol Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.