Juan Karita/AP
Juan Karita/AP

Com um a menos desde o 1º tempo, Santos arranca empate na altitude e garante vaga

Alvinegro se classifica para as oitavas de final da Libertadores após 1 a 1 com o The Strongest, fora de casa

Gabriel Melloni, Estadão Conteúdo

17 Maio 2017 | 21h38

Nos 3.660 metros de altitude de La Paz e com um jogador a menos desde o primeiro tempo, o Santos foi heroico para arrancar um empate por 1 a 1 diante do The Strongest nesta quarta-feira. Sem Bruno Henrique, expulso, desde os 22 minutos, o time brasileiro superou as adversidades para conseguir o resultado necessário para garantir vaga antecipada às oitavas de final da Libertadores.

Não bastasse a temida altitude e o confronto com o concorrente direto pela liderança da chave, o Santos teve que lidar com uma arbitragem bastante questionável do argentino Darío Herrera. Os jogadores brasileiros deixaram o campo revoltado, reclamando da expulsão de Bruno Henrique e de um pênalti não marcado em Vladimir Hernández.

O The Strongest ainda teve a chance da vitória nos minutos finais, mas Pablo Escobar desperdiçou cobrança de pênalti. Melhor para o Santos, que garantiu a vaga ao manter a liderança do Grupo 2 com nove pontos e jogará mais tranquilo contra o eliminado Sporting Cristal, terça-feira que vem, na Vila Belmiro.

A outra vaga da chave ficará entre o The Strongest, que tem oito pontos, e o Independiente Santa Fe, que chegou aos sete ao bater o Sporting Cristal por 2 a 0 no Peru. Estas duas equipes duelam na terça-feira que vem, na Colômbia.

O JOGO

Dorival surpreendeu ao entrar em campo com Vladimir Hernández na vaga de Ricardo Oliveira e Copete na lateral esquerda. O intuito era deixar o time mais leve e minimizar os efeitos da altitude, mas não deu certo no início. O The Strongest se mandou ao ataque e foi amplamente superior, chegando pela primeira vez aos quatro minutos, quando Chumacero passou por Leandro Donizete e arriscou de fora da área, para boa defesa de Vanderlei.

O Santos respondeu em lance polêmico. Bruno Henrique recebeu lançamento de Lucas Lima, cortou a marcação e tocou para Vladimir Hernández, que caiu ao ser tocado por trás. O árbitro mandou o jogo seguir e gerou revolta de Bruno Henrique, que recebeu o cartão amarelo por reclamação.

Mas tratou-se de um momento isolado. O Santos não conseguia brecar os ataques do The Strongest, que só não abria o placar pela deficiência técnica de seus jogadores. Aos 11, Chumacero roubou de Copete, passou por Cléber e entregou para Alonso marcar, mas o atacante furou. Aos 17, Pablo Escobar recebeu sozinho na área, mas falhou na tentativa de dominar e viu Vanderlei bloqueá-lo.

A situação que era ruim ficou desesperadora aos 22. Ao tentar bloquear um lançamento de Chumacero, Bruno Henrique chegou duro, com a sola da chuteira. O brasileiro não acertou o adversário, mas o árbitro considerou que o lance foi suficiente para o segundo amarelo e, consequentemente, o vermelho.

A defesa santista se segurou com um a menos somente por 17 minutos, porque aos 39 os donos da casa marcaram. Após jogada pela esquerda e cruzamento para a área, Alonso dividiu com Copete e a bola sobrou limpa para Chumacero. O boliviano teve calma para cortar Vanderlei e Cléber e finalizou para a rede.

Só que com um homem a menos, o Santos se retraiu, armou uma barreira com duas linhas próximas à área e acabou com a liberdade do The Strongest. Os brasileiros quase não iam ao ataque, mas, por outro lado, só foram incomodados novamente aos 10 minutos da etapa final. Escobar foi lançado e deixou para Alonso, que saiu de frente para Vanderlei, sozinho, e encheu o pé, mas parou no goleiro brasileiro.

E quando esperava-se do Santos cansaço e desânimo pelas circunstâncias, o time brasileiro precisou de apenas uma escapada para chegar ao empate. Aos 22 minutos, Lucas Lima caiu pela direita, passou como quis por Pérez e tocou no meio para Vitor Bueno, que concluiu para a rede.

O The Strongest se mandou para o ataque após o gol, mas o Santos manteve a postura que vinha dando certo e seguiu impedindo a criação de chances do adversário. Mas bastou um cochilo da defesa para os donos terem a melhor oportunidade para vencer. Aos 37, Pedrozo recebeu sozinho pela esquerda e, ao tentar driblar Vanderlei, foi tocado. Escobar foi para a cobrança e jogou por cima o último grande momento do duelo.

FICHA TÉCNICA

THE STRONGEST 1 x 1 SANTOS

THE STRONGEST - Daniel Vaca; Diego Berajano, Fernando Marteli, Luis Maldonado e Julio César Pérez; Diego Wayar, Walter Veizaga (Pedrozo) e Raúl Castro; Chumacero (Ramallo), Matias Alonso (Vargas) e Pablo Escobar. Técnico: César Farías.

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Cléber Reis e Copete; Leandro Donizete, Renato e Lucas Lima (Jean Mota); Vitor Bueno (Léo Cittadini), Vladimir Hernández (Kayke) e Bruno Henrique. Técnico: Dorival Júnior.

GOLS - Chumacero, aos 39 minutos do primeiro tempo. Vitor Bueno, aos 22 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Darío Herrera (Fifa/Argentina).

CARTÕES AMARELOS - Julio César Pérez, Raúl Castro (The Strongest); Lucas Lima, Vanderlei (Santos).

CARTÃO VERMELHO - Bruno Henrique (Santos).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Hernando Siles, em La Paz (Bolívia).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.